Mini-Reviews TV TV

Blindspot – Season Finale – 3ª Temporada

Blindspot

PODE CONTER SPOILERS!

Depois de uma midseason finale cheia de surpresas e reviravoltas, só desejavámos que os episódios restantes mantivessem a qualidade que tínhamos tido com esta terceira temporada. E não é que correu bem? Blindspot não dá descanso ao nosso sistema nervoso e a cada episódio, o enredo desenvolve, ainda que por vezes algo previsível, mas outras com plot twists dignos de ficar sem fôlego.

Agora temos realmente o rosto do vilão Hank Crawford (David Morse) e, com o decorrer da ação, vamos percebendo quem é este homem e de que maneira Roman (Luke Mitchell) se quis aproximar de Blake (Tori Anderson) para o destruir. Jane (Jaimie Alexander) descobriu a filha e agora tem de tentar recuperar a empatia dela, enquanto lida com tudo o vai descobrindo sobre o seu passado.

O MELHOR

Blindspot corrigiu os erros apresentados na segunda temporada e segue um rumo acertado e com fundamento. 

Desde que decidiu apostar numa narrativa focada no grupo protagonista, nas suas interações e emoções, a série só melhorou. Desde a zanga entre Zapata (Audrey Esparza) e Patterson (Ashley Johnson), que nos trouxe bons momentos, o iminente triângulo amoroso entre Reade (Rob Brown), a colega da CIA e a noiva, assim como a relação entre Jane, Weller (Sullivan Stapleton) e Avery (Kristina Reyes), até os momentos amorosos entre Roman e Blake. Tudo isto trouxe humanidade ao enredo, passando a ser mais do que uma simples série policial.

Como já referi na crítica anterior, Roman é um dos melhores vilões da TV dos últimos tempos e isso só nos agarra ainda mais aos episódios. Ele enerva-nos, irrita-nos, queremos que seja apanhado, mas por outro lado, torcemos para que de repente, bata com a cabeça e volte a ser o irmão carinhoso de Jane que outrora conhecemos. E o que dizer da química entre Luke e Tori? Wow! As cenas deles derretem até os corações mais frios.

As cenas de ação são extremamente bem conseguidas e, ao se aliarem a toda a parte emocional, tornam tudo viciante e os minutos passam a correr. Lembram-se daquele personagem que apareceu num episódio da segunda temporada? Não? Nem eu me lembrava, mas os criadores lembraram-se e demonstraram-nos que nada é feito ao acaso. A série é inteligente na maneira como baralha o jogo e lança os dados, dando-nos todas as peças que precisamos com o tempo.

O PIOR

Talvez algumas cenas previsíveis, que causam efeito momentâneo, mas que sabemos que se solucionam mais cedo ou mais tarde. É preciso arriscarem mais, para melhorarem tudo um pouco. Assim como, por vezes, situações surreais que nos relembram que estamos a ver uma série de TV e isso, nem sempre surte o efeito desejado.

Ainda que a tensão e todos os caminhos parecessem dar até este final, esperava mais dos vilões. Ou, se calhar, não tanto deles, mas do que eles poderiam fazer. Ficou tudo muito morno, como se planeassem tudo e depois no fim acabámos por não ver nada, ficando tudo pelas intenções.

Com a morte dos dois vilões principais, Blindspot poderia muito bem ter encerrado com esta temporada na perfeição, mas com a confirmação de uma 4ª temporada, ficamos à espera do que pode vir aí. E não é que nos conseguiram surpreender mais uma vez? O gosto que já nos deram do rumo que vão dar à história é ambicioso e tem tudo para dar certo. Zapata esteve sempre com Roman? Jane voltou a ser Remi, esquecendo tudo o que viveu com a sua equipa durante estes anos? Teremos a vilã que ninguém esperava? Tantas perguntas que vamos ter que aguardar pelas respostas. Direcciona bem o que queres Martin Gero e tem tudo para dar certo.

ESTADO DA SÉRIE: RENOVADA

0 78 100 1
78%
Average Rating

Foi uma temporada coesa e forte, que apresentou segurança na narrativa, manteve uma boa qualidade na realização e incríveis cenas de ação, focando-se nas relações entre o grupo protagonista e os vilões. A nota final só pode ser extremamente positiva.

  • 78%

Comments