Mini-Reviews TV Shadowhunters TV

Shadowhunters – Midseason Finale – 3ª Temporada

shadowhunters 3x11

CONTÉM SPOILERS!

O guilty pleasure da Freeform regressa para uma terceira temporada com um enredo um pouco mais ambicioso.

O Melhor

Uma das falhas da primeira temporada foi a performance de Katherine McNamara. Durante a segunda, a atriz mostrou algumas melhorias e felizmente agora consegue estar um pouco mais à altura do desafio. Não faz milagres com o material que tem, mas pelo menos a sua prestação não nos distrai das suas cenas. A própria personagem começa também a evoluir, agora mais confortável na sua posição.

Como habitual, Magnus (Harry Shum Jr) e Alec (Matthew Daddario) são uma das melhores partes da série, ainda que nesta temporada a sua presença tenha sido um pouco reduzida. Os papéis invertem-se ligeiramente, agora que Alec se encontra numa posição de poder e Magnus viu o seu pequeno império desmoronar-se. Ainda assim, vê-los trabalhar juntos é a salvação de alguns episódios.

Simon foi um dos pontos centrais desta primeira metade da temporada, pela sua marca de Cain e triângulo amoroso com Maia (Alisha Wainwright) e Jordan (Chai Hansen). O seu enredo foi melhorando ao longo dos episódios, com alguns momentos muito bons na midseason finale. Todo o episódio Salt in the Wound foi uma boa introdução à relação de Maia e Jordan que foi certamente agradável para quem acompanhou os livros.

Para esses mesmos fãs, Jace poderá ser a maior desilusão desta adaptação. O bom humor e confiança da personagem foi desde cedo substituído pela dificuldade em lidar com os próprios demónios. Agora que Dominic Sherwood teve oportunidade de mostrar uma faceta diferente, o ator prova que talvez tivesse conseguido apresentar um protagonista mais carismático. Todo o enredo da Owl, ainda que com os péssimos diálogos a que estamos habituados, correu particularmente bem. Sherwood consegue surpreender em algumas prestações como um Jace aterrorizado e torturado durante semanas, e o demónio que o substitui chega a ter bons momentos. A presença de Anna Hopkins como Lilith foi uma agradável surpresa. Infelizmente, a série não soube aproveitar as capacidades da atriz.

O Pior

Como vilão, Sebastian (Will Tudor) foi bastante superior a Valentine e a melhor parte da segunda temporada. Lilith tinha potencial para o superar e formar uma dupla excelente quando conseguisse ressuscitar o filho, mas infelizmente a série preferiu outro caminho. Alan Van Sprang nunca foi particularmente bom neste papel, e a sua presença na série já não é necessária. Trazê-lo de volta e destruir Lilith parece uma troca muito mal ponderada.

Até agora estes episódio parecem ter mais pontos positivos do que negativos, mas o problema de Shadowhunters é mais grave do que cada uma das suas partes. Quando tem um bom elenco, a série falha nas personagens ou não sabe bem como as aproveitar. Quando as personagens são boas, cada diálogo é pior que o anterior. Quando tenta levar a cabo uma cena de ação, exagera nos efeitos especiais e ainda não conseguiu lutas à altura do panorama televisivo atual. Por muito bom que o plano seja para o enredo, Shadowhunters consegue sempre falhar na execução. Felizmente, tem vindo a melhorar.

0 52 100 1
52%
Average Rating
  • Por muito bom que o plano seja para o enredo, Shadowhunters consegue sempre falhar na execução. Felizmente, tem vindo a melhorar. 
    52%

Comments