Frame by Frame The Flash TV

The Flash – 4×22 – Think Fast

The Flash

CONTÉM SPOILERS!!!

Regra geral, o penúltimo episódio de uma temporada consegue criar aquela elevada expectativa para o seu final esperado. Ainda que The Flash tenha encerrado este episódio numa nota interessante, o mesmo não se pode aplicar ao seu trajeto.

Neste episódio, Clifford DeVoe (Neil Sandilands) está mais perto de iniciar o seu plano maléfico. Só lhe falta apenas mais um passo: obter a energia nuclear de Neil Borman (Ryan Alexander McDonald), que se encontra sob a custódia da A.R.G.U.S.. Com o vilão a preparar-se para o último passo, a Team Flash tem apenas 12 horas para tentar impedi-lo.

Comecemos este Frame By Frame com o meu momento preferido do episódio: a sequência de abertura: vemos Clifford a dar uso total do seu vasto leque de poderes contra os soldados da A.R.G.U.S. Foram raras as instâncias em que vimos o vilão a dar uso aos seus poderes, e muito mais raro ainda a usá-los de uma forma bastante brutal como a que foi vista, num verdadeiro misto de um jogo de câmara invejável com efeitos especiais a que The Flash já nos habituou. Ao ver esta sequência de ação, lembrei-me momentaneamente na série de combate non-stop da primeira temporada de Daredevil, o que por si só serve de um forte elogio.

É uma pena que o resto do episódio tenha ficado um bom bocado a desejar. Com 12 horas para “matar”, Barry (Grant Gustin), Cisco (Carlos Valdes) e Caitlin (Danielle Panabaker) juntam forças para tentarem derrotar DeVoe. Ainda que este segmento tenha tido os seus claros momentos emocionais – a troca de diálogos acesa entre Barry e Cisco perto do final do segundo ato é um claro destaque -, este plot não deixa de ser um bocado familiar para quem tem acompanhado a temporada até agora.

Outra exceção positiva reside na dupla improvável Iris-Harry (Candice PattonCandice Patton), que procuram por Marlize (Kim Engelbrecht). Pode ter sido um tanto ou quanto anti-climático no fim de contas, mas não deixa de transparecer uma dinâmica interessante, agora que Harry vai-se tornando cada vez mais burro. No entanto, estes dois não deixam de ter material para poder usufruir à vontade.

Infelizmente, com tanto foco nos DeVoe, seria de esperar que existissem algumas baixas no episódio. Neste caso, as “vítimas” foram Joe (Jesse L. Martin) e Cecile (Danielle Nicolet) que, além de se preocuparem com o parto iminente, tentam lidar com os poderes “melhorados” de Cecile (agora consegue imitar as personalidades de quem a rodeia). Pode ter dado origem a alguns risos, claro, mas fica a ideia de que a sua presença foi praticamente supérflua. O mesmo se aplica a Diggle (David Ramsey), que tem direito a um cameo sem qualquer tipo de consequência para o episódio.

Ainda que o cliffhanger nos tenha aguçado o apetite para o que virá a seguir, este Think Fast só veio ilustrar a grande fraqueza desta quarta temporada de The Flash: mesmo com o sentido crescente de urgência, a série TEIMA em não se preocupar muito com o avançar com a narrativa. Portanto, esperem de tudo um pouco na semana que vem, com o último do episódio da temporada, mas mantenham as expectativas bem baixas.

Não se esqueçam de conferir o nosso Frame By Frame anterior aqui.

0 61 100 1
61%
Average Rating

Este episódio de The Flash pode ter aberto o apetite para o seu season finale da próxima semana, mas o trajeto deixou bastante a desejar.

  • 61%

Comments