Dynasty Mini-Reviews TV TV

Dynasty – Season Finale – 1ª Temporada

Quando Dynasty deu os seus primeiros passos, os fãs ficaram divididos. Muitos surpreenderam-se aprovaram o reboot, enquanto outros permaneceram fiéis ao original de 1981. Com o season finale, podemos fazer finalmente um balanço desta aposta da CW e decidir se a network tomou a opção correta em reavivar os Carrington e todo o drama que os persegue.

O melhor

Fallon Carrington assumiu o papel de protagonista no reboot, o que se provou uma das melhores decisões criativas. Elizabeth Gillies é uma deliciosa revelação, surpreendendo com a sua adaptação fantástica da personalidade rebelde e decidida de Fallon. Ao longo da temporada, Fallon desenvolveu-se de forma suave e credível, evoluindo de herdeira mimada e egocêntrica para presidente altruísta e carinho (sem nunca perder a sua bitch face característica, obviamente).

Também a relação entre Fallon e a sua madrasta Cristal (Nathalie Kelley) deu uma volta de 180º. As duas não são as melhores amigas, mas passaram de inimigas a aliadas. A realização de que Blake (Grant Show) não é o homem que elas pensavam e a chegada de Alexis (Nicollette Sheridan) ‐ podemos por favor falar da cena da estalada entre mãe e filha na piscina? – deu a esta dupla um motivo para se unirem. Nem que seja para trazer justiça a todas as vítimas da Carrington Atlantic.

Isto também nos deu oportunidade de perceber que Cristal é muito mais que uma caça fortunas. Ao contrário do que nos foi dado a entender, a mulher de Blake estava realmente apaixonada pelo marido e nunca esteve interessada no seu dinheiro.

O tão temido regresso de Alexis foi, sem dúvida, um dos pontos altos da segunda metade da temporada e a prestação de Sheridan é de louvar. A relação que todos temos com esta personagem é de obviamente amor/ódio e, por muito terror que ela faça as nossas personagens favoritas passar, não podemos deixar de nos divertirmos com as suas teias de mentiras.

Tenho de deixar aqui uma menção honrosa a Alan Dale, que dá vida a ao fiel Joseph Anders. Durante a primeira metade da temporada, o mordomo dos Carrington era uma sombra irritante, decidido a proteger a família a todo o custo. Contudo, nesta segunda metade da temporada, assistimos a um Anders mais carinhoso que se tornou numa figura paternal para Sammy Jo (Rafael de la Fuente). Quem não sentiu aquela raiva a borbulhar sob a superfície quando Blake o maltratou e despediu?

Felizmente ‐ para nós e para os Carrington – o Anders voltou rapidamente.

O pior

Não existe forma de negar que, a maior desilusão de Dynasty foi Blake. Não, ninguém queria que ele fosse um anjo, mas a cada episódio descobríamos mais um segredo horrível desta personagem, seguido de uma atitude igualmente terrível. Os comportamentos incorretos, tanto com a mulher, como com a filha, deixaram muito a desejar. Apenas o suposto regresso do filho desaparecido, Adam, conseguiu derreter o coração gelado de Blake e deixar-nos emocionados com o seu sofrimento.

Mas é exatamente a Adam que eu queria chegar. Aliás, a Hank (Brent Antonello). Depois de uma temporada de coisas más e azares, tudo o que eu queria era uma vitória para os Carrington. A revelação de que Adam é na verdade Hank, o amante de Alexis, foi como uma bofetada e provou que a mãe de Fallon é ainda mais venenosa do que parece. Além de manipular o filho Steven (James Mackay) a procurar o seu irmão perdido, ainda apresenta um filho falso para torturar o ex-marido.

O romance relâmpago de Sammy Jo e Steve também deixou muito a desejar. Apesar de estarmos à espera desde o início da temporada que os dois caíssem nos braços um do outro, foi difícil achar credível o noivado e casamento a alta velocidade. Só podemos é desejar que a história entre estes dois tenha um final mais feliz do que na série original.

E por falar em romances, não posso deixar de mencionar Culhane (Robert Christopher Riley) e Fallon. Apesar de Culhane ser a pessoa que derreteu o gelo no coração de Fallon, a relação entre os dois já se tornou aborrecida e repetitiva. A atitude teimosa de Culhane e a constante humilhação de Fallon destruíram aquela que poderia ser a relação mais surpreendente da série. A verdade é que Fallon e Culhane iam ser mais uma história de amor entre um pobre e um rico perdido da história das séries.

Talvez o futuro e felicidade da herdeira dos Carrington esteja junto de Liam Ridley (Adam Huber).

Leiam a nossa Mini-Review anterior de Dynasty aqui.

Estado da série: RENOVADA

0 86 100 1
86%
Average Rating
  • 86%

Comments