Cinema Críticas

Crítica: Rampage (2018)

ramage

Título: Rampage – Fora de Controlo

Título original: Rampage

Realização: Brad Peyton

Elenco: Dwayne Johnson, Naomie Harris, Jeffrey Dean Morgan, Demetrius Grosse, Malin Akerman.

Duração: 107 minutos

Rampage conta a história de amizade entre Davis Okoye (Dwayne Johnson) e George, um gorila extraordinariamente inteligente, que resgatou pouco tempo depois do seu nascimento. Um estranho acidente científico acontece e transforma George num monstro furioso que não pára de crescer. Após descobrir que o seu amigo não foi o único animal afetado, Okoye junta-se a uma engenheira genética para encontrar um antídoto, deter uma catástrofe global e, sobretudo, tentar salvar a temível criatura que é seu amigo.

Mais uma recente adaptação de um videojogo! E quando o jogo que serve de inspiração se baseia em animais gigantes que destroem cidades pensamos que o plot será igualmente vago. Mas surpreendentemente Rampage acrescenta algum significado e até se torna uma história interessante neste foco. Não podemos dizer que é um filme espetacular, mas concretiza os objetivos que pretendia nesse sentido.

Mencionemos então as estrelas do filme: os “monstros” estão extremamente bem conseguidos. Têm uma aparência realista e até os movimentos das criaturas foram bem retratados. Se há aspeto em que este filme se destaca é no trabalho de CGI. Obviamente o que tem o maior realce é George, mas não apenas pelos efeitos especiais. O que realmente surpreende é a forma como o plot foi bem concretizado de forma a conseguir criar empatia da plateia com este animal. Com ousadia até posso dizer que se trata de um deja vú ou remake de Caesar do franshise de Planet of the Apes. São inegáveis as semelhanças destas duas relações entre símio e humano.

Mas afinal este é um filme Dwayne Johnson. Claro que o brilho tem que chegar a ele! E nisso nada a dizer. Uma performance bem conseguida, com cenas cómicas, dramáticas e ação com que o ator lida na perfeição. No entanto, este filme conta com um scene stealer, Jeffrey Dean Morgan, que interpreta uma personagem que é o centro de quase todo o humor do filme.

Quanto a problemas, menciona-se a irrealidade de certos acontecimentos. As personagens humanas são a única coisa que relembra constantemente um videojogo. O exagero nas cenas de ação e como as personagens se safam sempre, como se tivessem uma quantidade infinita de vidas, retira sentido de consequência ao enredo.

Conclusão, Rampage é um filme que serve o propósito que pretendia. Celebra o jogo em que se inspira através das cenas de ação, usando uma história com lógica para lá chegar. Não é dos melhores filmes, mas proporciona entretenimento e assume o que é.

Trailer – Rampage

Comments