Fear The Walking Dead Frame by Frame TV

Fear the Walking Dead – 4×04 – Buried

Alicia e Naomi

Fear The Walking Dead tem estado sólido. Ainda que os eventos que narra por estes dias pareçam a repetição da receita do “irmão” mais velho, tem encontrado uma forma criativa de transmitir a mensagem. Buried é o quarto episódio da temporada e solidifica precisamente esse estilo.

Nesta altura, tudo o que envolva o naming The Walking Dead não recebe muito amor. Só os fãs mais hardcore continuam a defender incondicionalmente os produtos deste universo. Eu continuo ali no meio. Continuo a gostar, de um forma geral, mas há que ter um pouco o discernimento no lugar certo. Avaliar o que nos é dado e enaltecer o que está bem feito, mas também apontar os erros. Buried tem um pouco dos dois lados.

Neste episódio temos essencialmente a entrevista de Al (Maggie Graceaos diferentes sobreviventes. Assim, alternamos entre a carrinha SWAT, onde as entrevistas acontecem, e saltos no tempo, para o passado, onde vemos as acções que eles relatam. Na parte das entrevistas na carrinha SWAT, são usados planos da própria câmara da Al (continuo sem perceber onde raio carrega ela as baterias) o que acaba por envolver mais o espectador, conferindo realismo à coisa.

Descobrimos uma parte do que trouxe Victor Strand (Colman Domingo), Alicia (Alycia Debnam-Carey) e Luciana (Danay Garcia) até aquele ponto e é-nos levantado um pequeno véu do que terá acontecido no estádio. Nenhuma palavra sobre o paradeiro Madison (Kim Dickens).

Sobre Buried (!spoilers!)

As entrevistas revelam, no seu todo, os pecados de cada um dos sobreviventes num momento crucial para a sobrevivência do Diamond, a colónia que eles improvisaram. Basicamente, todos pensaram em abandonar o “barco”… Mas quase todos se arrependeram. No momento presente, para a câmara de Al, todos ser arrependem de não o terem abandonado. Fear the Walking Dead joga muito com o arrependimento sistemático dos personagens seja pelo que fizeram ou pelo que não fizeram, mas sentem que deviam ter feito.

Na realidade, a falta de vontade de lutar que as pessoas no estádio têm demonstrado prende-se muito com o facto de muitos já terem passado por aquela situação antes. Seja na quinta no México, na Colónia ou no Rancho. Nenhuma comunidade está imune. Os recursos são escassos, os bens manufacturados acabam por se desgastar e ficar inúteis, nada é permanente.

Victor Strand, tinha um veículo de fuga pronto a usar. Nele tinha rações e mantimentos que o próprio ia desviando do estádio. Mas nem isso seria suficiente para ele sobreviver durante muito tempo. Neste cenário parece-me que viver numa comunidade é mais difícil do que apenas continuar a sobreviver. Não há lugar para optimismo vago, como o de Nick ao tentar recolher livros e posters…

Nick e Luciana
Nick e Luciana explicam a Madison uma nova estratégia para recolher mantimentos

Esperança ou falta dela

Além da forma como conta a história, Buried tem de bom o facto de jogar com a linha ténue que vai separando a dor da perda e a esperança. O episódio equilibra ambos de forma delicada, mostranda um antes e um depois muito contrastante, à mediada que faz os saltos no tempo a que Fear nos tem acostumado nesta temporada. O curioso é que talvez ninguém esteja certo e ninguém esteja errado. Não é errado ter esperança ou falta dela perante este cenário. É com estas escolhas que Fear nos confronta e nos vai mostrando, de uma forma diferente e criativa, as consequências daquilo que escolheram.

Mas a série ainda desenvolveu pouco. Acho até que a série nos está a esconder coisas que estão debaixo das nossas “barbas”. O Nick que vemos nos flashbacks tem uma personalidade muito diferente do Nick que vimos no tempo presente. Há algo que aconteceu, e que desvendaremos certamente em breve, que catalisou a mudança nele.

Ainda que o foco do episódio seja o trio Victor, Alicia e Luciana, as maiores revelações do episódio são as de John (Garret Dillahunt). Primeiro o facto de ser polícia. É curioso ver que em ambas as séries a primeira personagem com que Morgan faz parceria é um polícia. Segundo, Naomi. A mulher por quem Madison arriscou a vida no segundo episódio, é a Laura que John tem andado à procura. Segundo o grupo de sobreviventes, a sua Laura terá morrido no estádio na luta contra os Vultures. Esta é a motivação que lhe faltava para se juntar à causa.

Pensamentos finais

Mesmo que muitos desconfiassem, Fear está sólido nesta quarta temporada. Muita da desconfiança do público devia-se não à série em si, mas ao estado de coisas em The Walking Dead. Tendem a esquecer-se que estamos a falar de duas séries diferentes.

Esta solidez é muito fruto dos novos personagens, com Morgan à cabeça. Resta esperar que isto não seja um sinal de que a série vai começar a “matar” o cast original. A morrerem que seja algo com significado. Nick, por exemplo, que acaba por morrer ás mãos do que sempre quis proteger.

0 85 100 1

85%
Average Rating
  • 85%

Comments