Frame by Frame Supergirl TV

Supergirl – 3×17 – Trinity

supergirl 3x17

CONTÉM SPOILERS!

O ponto forte da terceira temporada de Supergirl tem-se vindo a transformar num dos mais negligenciados nestes últimos episódios. Estou a falar da sua vilã, que começou de forma excelente com a atenção dada a Sam (Odette Annable), e agora se tornou em algo que não conseguimos compreender bem. Que Reign estava a ser controlada por algo ou alguém já sabíamos, mas o que representa ainda não ficou bem claro. Talvez o objetivo seja mesmo esse, e esta entidade se torne numa ameaça ainda maior na quarta temporada. Mas para já parece apenas uma forma de reduzir a culpa que Sam terá que acarretar no final da temporada. Para além disso, as duas Worldkillers que recentemente se juntaram a Reign têm claramente menos para oferecer do que Sam. Com Grace (Angela Zhou) pouco tempo passamos, e Julia (Krys Marshall) acaba por ser uma heroína de conveniência, apenas para nos mostrar que há esperança para Sam. A abordagem de Supergirl a estas vilãs não deixa de ser bastante interessante e original, mas tal como referi bem cedo na temporada, é muito fácil estragar todo este trabalho com as motivações erradas. Sobressaem as pequenas cenas na “dimensão paralela” que arrancam mais uma excelente performance de Odette Annable.

Mas a estrela do episódio acaba por ser Lena Luthor (Katie McGrath), que tem muito para explicar depois de ser apanhada com Reign em seu poder. Lena é uma personagem muito bem conseguida, e até a sua relação morna com James (Mehcad Brookscomeça a despertar alguma empatia, em particular durante este episódio. Mas a sua personalidade até agora tem sido pouco mais do que lutar contra o apelido, e este episódio está a aproximar-se perigosamente da repetição. Felizmente, Katie McGrath agarrou a personagem como só ela sabe e com carisma e várias cenas fortes consegue que Lena não se torne um fardo para o enredo, antes pelo contrário.

Mon-El (Chris Wood) está claramente à beira de desistir do futuro que já construiu com a Legion e com Imra (Amy Jackson), e a série faz questão de nos mostrar isso longe de Kara (Melissa Benoist). Este é um momento de redenção para Mon-El depois da reação dividida dos fãs na temporada anterior. Estamos a ver uma personagem diferente, que respeita Imra e Kara de uma forma que o antigo Mon-El não conseguiria.

Felizmente faltam seis episódios para o final desta temporada, tempo suficiente para responder a todas as nossas questões sobre as Worldkillers e colocar todas as personagens na posição necessária para completarem o seu arco nesta terceira temporada.

0 74 100 1
74%
Average Rating
  • A abordagem de Supergirl a estas vilãs não deixa de ser bastante interessante e original, mas tal como referi bem cedo na temporada, é muito fácil estragar todo este trabalho com as motivações erradas.
    74%

Comments