Frame by Frame TV Westworld

Westworld – 2×02 – Reunion

ESTE ARTIGO CONTÉM SPOILERS!!!

Westworld não deixa de espantar a cada episódio que é lançado, sendo cada um melhor que o anterior. É difícil manter um nível de qualidade tão elevado e ainda espantar os espectadores com reviravoltas e acontecimentos que nos deixam boquiabertos.

O episódio desta semana foca-se inteiramente em dois personagens que têm um papel vital no desenvolvimento do parque: temos vislumbres rápidos do passado de Dolores, quando esta é utilizada fora do parque e acompanhamos um pouco do passado de William, assim como o seu futuro eu, Man in Black. William foi um dos principais impulsionadores do projeto que é Westworld, tendo sido o mesmo a convencer o CEO da empresa Delos a financiar o parque temático. Ao longo do episódio vamos saltando entre passado e presente, assim como os personagens de William, Dolores e Man in Black.

Uma vez mais Evan Rachel Wood está de parabéns, com uma prestação soberba da personagem Dolores. Evan absorveu o papel de tal maneira que é difícil (e até arrepiante) de olhar para Dolores e tentar imaginar um ser humano. A sua performance é sublime e eleva o carisma, não só do episódio, mas de toda a série. Alguém que também esteve fenomenal em Reunion é Jimmi Simpson, conhecido na série como William. Conseguimos ver que William não é o mesmo da primeira temporada, talvez já um homem mudado depois das suas primeiras aventuras no parque. O ator transmite um ar seguro do personagem, intimidador e até que presunçoso. Ed Harris também não fica atrás, protagonizando um personagem já cansado no jogo que reencontrou a sua paixão através do novo desafio de Robert. Mas este desafio não se provará fácil, visto que Ford insiste que deve ser apenas William (Man in Black) que o deve acabar (sem ajuda de outros).

Devido à complexidade de Westworld, nada é de se deixar despercebido. O título Reunion, como muitos anteriores, revelam o propósito (e talvez um plot) do próprio episódio: abre novamente com um diálogo entre Dolores e Arnold, uma espécie de reunião fora dos perímetros do parque para o criador dos hosts perceber se Dolores se consegue aproximar de um lado mais humano; após os créditos, vemos uma reunião de negócios entre Logan (Ben Barnes) e membros da Delos; a próxima reunião é entre Man in Black e um já conhecido host, Lawrence, interpretado por Clifton Collins Jr., que o irá acompanhar na sua jornada; assistimos também à reunião (ou o cruzar caminhos) de Dolores e Maeve; também Dolores se reuniu com um grupo de confederados para discutir alianças; e talvez a reunião mais significativa do episódio, William reune-se com Dolores numa festa da Delos onde a host tocava o piano e, mais tarde, numa sala de questionários (as mesmas onde podemos ver os hosts a serem reprogramados na primeira temporada). O episódio está repleto de “reuniões”, sejam eles ocasionais, para formar alianças ou mesmo propositadas, e são descobertos segredos de William que necessitam ser redimidos por Man in Black. À medida que os episódios vão passando os personagens vão sofrendo caracterizações mais profundas, adicionando camadas e camadas sobre os mesmos, sejam estas em formato de relações com outros, passados obscuros ou sonhos que estejam por realizar. Já percebemos que William é um papel tão importante na criação do parque como Arnold ou Ford, mas o que poderá este ter feito que o leve a procurar redenção passado tanto tempo?

Algo que Westworld conseguiu sempre utilizar na perfeição é a banda-sonora, que é pertinente e dá um tom completamente diferente ao episódio, sendo usada para fazer transições entre cenas e para amenizar o ambiente de tensão. Também os planos de câmera são incríveis, tanto dentro como fora do parque. É a primeira vez que temos um vislumbre fora dos aposentos da Delos, e a maneira como nos é apresentada é como se “(…) the stars have been scattered across the ground.“, numa paisagem bela e serena de uma cidade à noite.

Apesar de contracenar por breves momentos, Thandie Newton esteve fantástica. Os caminhos de Dolores e Maeve cruzam-se na cena mais intensa do episódio. São trocadas palavras e ameaças de forma subtil entre ambas a líderes femininas, cada uma com o seu guarda-costas pronto para a proteger. Maeve dirige algumas palavras a Teddy sobre a sua “aliança” para com Dolores que parecem ressoar na sua “mente”. Será que vamos ver Teddy a “cair em si” e a escolher o seu próprio destino? Ou continuará ele um seguidor de Dolores?

Conseguimo-nos aperceber de que a fasquia está cada vez mais elevada, e a corrida está cada vez mais intensa. Apesar das várias fações e alianças que se começam a criar, parece que todas têm o mesmo destino: o Valley Beyond/Gloria. Será que todos conseguem atingir o seu objetivo? Irão todos os personagens colidir a certa altura? Ou será que vamos ver uma “mão divina” a intervir?

0 100 100 1
100%
Average Rating

Reunion é um episódio que se foca em dois personagens distintos e nos seus caminhos, quer sejam estes do passado ou do presente. Ambos são peças importantes para o desfecho dos acontecimentos no parque, que já se cruzaram mais que uma vez na história.

  • 100%
0 100 100 1
100%
Average Rating

Reunion é um episódio que se foca em dois personagens distintos e nos seus caminhos, quer sejam estes do passado ou do presente. Ambos são peças importantes para o desfecho dos acontecimentos no parque, que já se cruzaram mais que uma vez na história.

  • 100%

Comments