Frame by Frame The 100 TV

The 100 – 5×01 – Eden

the 100 5x01

CONTÉM SPOILERS!

Depois do final explosivo (pun intended) da quarta temporada, The 100 tinha um enorme peso nas costas com este regresso. Com um grupo no espaço e outro ainda no bunker, Clarke (Eliza Taylor) sozinha e a chegada de uma nave sobre a qual não sabíamos nada, a série teve que equilibrar vários enredos e conquistar o nosso interesse depois de um time jump de seis anos.

O episódio consegue chegar a quase todos os cantos, deixando apenas a Wonkru de parte. Com um grupo tão grande de personagens e clãs distintos, certamente haverá pano para mangas com essa parte do enredo. Esperemos que lhe seja dada a atenção devida, de preferência com um episódio inteiro

Até os momentos no espaço servem de pouco, apenas ajudando a perceber as novas dinâmicas entre as personagens e, de modo geral, como têm sobrevivido até então. O único desenvolvimento de real interesse para este grupo foi a chegada da nave de prisioneiros, sobre a qual pouco ficamos a saber para além de que são perigosos, como já imaginávamos.

Eden concentra-se exatamente no que o nome sugere: como Clarke encontrou um pedaço de Terra imaculado. Como era de esperar, os primeiros tempos sozinha num planeta dizimado não foram fáceis e em certos momentos a série conseguiu mostrar isso de forma eficiente. Não foi um episódio á la “One Woman Show” de Jemma Simmons em Agents of SHIELD, como podia e deveria ter sido, mas foi o suficiente para percebermos mais uma vez que Clarke é uma sobrevivente. É com ela que o tema de todo o material promocional desta temporada mais esteve presente: there are no heroes. A ambiguidade em The 100 sempre foi o seu ponto forte, e Clarke parece ter finalmente assumido o seu papel de Wanheda e estar a treinar Madi (Lola Flanery) para fazer o mesmo.

Os desafios de The 100 para esta temporada são claros; mostrar que consegue manter a qualidade que foi ganhando com a luta constante pela sobrevivência, sem voltar a repetir as mesmas guerras por território, tronos ou superioridade cultural. Apesar do começo ter sido morno, se há coisa a que a série já nos habituou foi a melhorar de forma constante.

0 81 100 1
81%
Average Rating
  • Não foi tão intenso para Clarke como deveria ter sido, mas mais uma vez mostrou a força da sua protagonista e equilibrou os enredos necessários para captar a nossa atenção.
    81%

Comments