Cinema Críticas

Crítica: Avengers Infinity War (2018)

Título Original: Avengers: Infinity War

Título: Vingadores Guerra do Infinito

Realização: Anthony Russo e Joe Russo

Elenco: Josh Brolin, Robert Downey Jr., Tom Holland, Chris Hemsworth, Benedict Cumberbatch, Chris Pratt, Mark Ruffalo, Scarlett Johansson, Chris Evans, Elizabeth Olsen, Chadwick Boseman, Paul Bettany e outros.

Duração: 159 minutos

Após 10 anos de existência do Universo Cinematográfico da Marvel, chega o filme mais aguardado pelos fãs. Avengers: Infinity War trata-se do culminar de todas as 18 histórias a que temos assistido e do confronto com Thanos, já prometido desde 2012 em The Avengers. O objetivo deste vilão é coletar todas as seis Infinity Stones. Estas possuem um poder inimaginável, que lhe permitirá infligir a sua vontade em toda a realidade. Tudo levou até este momento!

Avengers: Infinity War trata-se mais de uma experiência cinematográfica que propriamente uma história. Para quem acompanha desde o início todas as personagens deste universo, é gratificante ver as interações e choque entre as várias personalidades. É como se apresentássemos dois nossos amigos de longa data que conhecemos bem e vê-los adaptar-se um ao outro. Este filme consegue isso na perfeição! Com um número incontável de elementos no elenco, nenhuma personagem perdeu os seus atributos. Todas as características que faziam de si essa mesma personagem que conhecemos anteriormente estão presentes.

O mesmo acontece com as “vibes” de cada grupo. Por exemplo, mesmo antes de os Guardiões da Galáxia aparecerem no ecrã, conseguimos perceber que estamos na parte do filme que lhes compete apenas pela mudança de tom. Este talvez fosse o maior desafio deste ambicioso filme. Juntar todos os heróis numa grande salgalhada seria fácil! A arte está em juntar todos os tipos de filme que temos visto e captar o espírito de cada um deles, no seu momento e sem entrar em conflito com os outros. Os irmãos Russo tiveram esse cuidado e triunfaram.

Um dos maiores problemas do MCU tem sido a falta de bons vilões que impactem e causem algum tipo de consequência. Mas, finalmente temos um grupo que representa perigo e que tal faz sentir. Thanos é tudo o que tem sido prometido! Há um desenvolvimento dedicado da personagem e dos seus objetivos. Podemos não concordar com o plano, mas é bem transmitida a profunda crença da personagem na necessidade de que tem de o fazer. Do seu grupo de “filhos” destaca-se Ebony Maw pelas melhores interações com os heróis.

Como mencionado, uma das maiores queixas dos fãs ao longo de todos estes anos é a falta de consequências. Talvez Captain America: Civil War tenha começado a tentar mudar um pouco isso, mas Infinity War realmente concretiza por todo o tempo perdido nesse aspecto. É de facto um filme que vale a pena ver sem qualquer tipo de spoiler. A emoção está lá! Podemos garantir! Mas isto leva ao talvez mais evidente defeito deste filme. As consequências são tão altas que a dúvida de que serão permanentes é enorme.

Conclusão, Avengers: Infinity War é o grande evento que se esperava que fosse! Consegue juntar com credibilidade dezenas de personagens e vários estilos de filmes de todo o MCU, desde o primeiro Iron Man. Convence que Thanos é a maior ameaça que os vingadores já tiveram e garante as consequências que tanto ansiávamos para este universo.

Trailer – Avengers: Infinity War

Comments