La Casa de Papel Mini-Reviews TV TV

La Casa de Papel – Season Finale – 2ª Temporada

La Casa de Papel

PODE CONTER SPOILERS!

Após uma paragem para nos deixar na expectativa, a Netflix disponibilizou aquilo que chamou de segunda parte da primeira temporada de La Casa de Papel, onde em 9 episódios, acompanhamos o desenlace daquele que é o maior assalto da História.

Depois de um final que nos pôs com as mãos na cabeça, achando que a linha tinha chegado ao fim para o Professor (Álvaro Morte), depressa percebemos que, mais uma vez, estava tudo planeado e todas as provas encontradas na casa onde estiveram a planear tudo durante 5 meses, foram forjadas ao mais ínfimo pormenor.

Já dentro da Casa da Moeda, o ambiente vai ficando cada vez mais tenso, com os assaltantes a lutarem contra o tempo para terminarem tudo e sairem a tempo, tendo de lidar com as discussões que se intensificam à medida que o tempo passa.

O MELHOR

Não há tempo para respirar nestes novos episódios, fazendo com que a nossa empatia pelos personagens cresça a cada minuto. 

O ritmo que a trama assume nesta segunda metade é de louvar. Não há tempos mortos, não há vontade de dormir e fica difícil parar antes do final. É impossível não entendermos o lado dos “criminosos” e torcermos para que estes se dêem bem no assalto, visto que as suas fraquezas, assim como as suas ambições são extremamente bem explicadas, humanizando-os em detrimento da polícia.

Tóquio (Úrsula Corberó) assume ainda mais destaque nestes novos episódios, mantendo-se não só como narradora, mas proporcionando-nos momentos dignos de cair para o lado sem ar. Vamos falar da cena em que esta é “expulsa” da local do assalto por Berlin (Pedro Alonso)? Um dos maiores plot twists da história, que acabou por nos trazer um momento digno do 007, onde nem pensamos no quão irreal é, só queremos que dê tudo certo. Se até então era complicado amá-la na totalidade, pois revelou-se um dos maiores motivos para o plano traçado não correr como devia, o certo é que agora ela é a “heroína”.

Mónica (Esther Acebo) e Denver (Jaime Lorente) também crescem imenso e, se ela assume uma posição mais assertiva, ele ganha maturidade e só queremos que a relação deles dê certo. O Professor continua, obviamente no centro de tudo e a relação com Raquel (Itziar Ituño) vai ganhando outras proporções, principalmente a partir do momento em que esta descobre que Salva, o homem por quem se está a apaixonar, é o seu maior “inimigo”. As cenas entre os dois são do mais tenso que me consigo lembrar.

No entanto, e para mim, aqueles que recebem o prémio de melhores personagens são, sem dúvida, Berlin e Nairobi (Alba Flores). Se ele, que trazia um misto de amor/ódio ao público, termina em grande, numa cena quase poética, ela mostra-nos o empoderamento da mulher, a força e a luta pela igualdade. VIVA O MATRIARCADO! 

O lado emocional é um dos pontos fortes desta segunda toma de episódios e somos envolvidos em cenas onde é muito difícil segurar a lágrima. SPOILER ALERT! A morte de Moscovo (Paco Tous) é só linda. Os diálogos, as interpretações… funciona tudo! Sem ser previsível, os minutos vão passando sem darmos conta, até chegarmos ao final que todos queriamos, vibrando e ficando com cara de parvos a olhar para o ecrã com a última cena quase novelesca. Fotografia e realização? Nota 10 como até aqui.

O PIOR

É certo que o argumento não é perfeito, as soluções fáceis vão acontecendo com frequência mas isso não tira a magia que a série conseguiu criar até aqui e aí se vê a qualidade. Conseguiram com que a empatia gerada pelos personagens fosse tanta, que todos os erros nos passam ao lado, só querendo que eles saiam dali com os bolsos recheados.

Algumas pessoas podem queixar-se de querer ver mais de cada um dos nossos ladrões favoritos no final. Para mim está no ponto, ainda que perceba que depois de tudo, mereciamos ver mais deles e de como ficaram depois de toda esta aventura.

Há uma vontade enorme que seja anunciada uma segunda temporada, mas não peçam isso malta. A história tem princípio, meio e fim. Foi contada como devia, ofereceu-nos tudo o que podia e inventar mais, só poderia estragar. Resta-nos sonhar com ela, rever os episódios e agradecer pela oportunidade que os nuestros hermanos nos proporcionaram de ver e rejubilar com uma das melhores séries do ano!

BELLA CIAO! 

ESTADO DA SÉRIE: FINALIZADA 

0 95 100 1
95%
Average Rating

Não peçam nova temporada, pessoal. A história tem princípio, meio e fim. Foi contada como devia, ofereceu-nos tudo o que podia e inventar mais, só poderia estragar. Resta-nos sonhar com ela, rever os episódios e agradecer pela oportunidade que os nuestros hermanos nos proporcionaram de ver e rejubilar com uma das melhores séries do ano! 

  • 95%

Comments