Open Sesame Rubricas

Aoi Bungaku Series

Aoi Bungaku Series

O Open Sesame desta semana traz-nos um anime bastante peculiar, Aoi Bungaku Series. Trata-se de um género de antologia, ou melhor dizendo, uma adaptação inspirada em seis obras de literatura japonesa.
O meu primeiro contacto com este anime deixou-me algo reticente e, é certo, que umas adaptações estão melhor conseguidas que outras; no entanto, merece ser visto até ao fim, mais não seja, pelas lições retiradas e uma percepção de actualidade que nos é impelida.

E agora peculiar em que medida? Bom, para começar, temos uma contextualização dada por uma pessoa de carne e osso. O actor, Masato Sakai, surge como um narrador que nos guia no início de cada episódio. Para além de nos apresentar a obra em questão, faz-nos uma breve análise através da vida do autor. Insistindo, nas suas experiências e dificuldades que se reflectem na intemporalidade da obra.
Outro ponto que abona, ou não, para a singularidade de Aoi Bungaku Series é o seu estilo de animação. Ou melhor, a ausência de um estilo de animação fixo. Como referi, ao longo deste anime, são-nos apresentadas seis diferentes adaptações de obras literárias e, cada uma, tem o seu próprio estilo de animação. Não querendo com isto ser tendenciosa, acabei por preferir a o character design de Takeshi Obata (Death Note). Não obstante, tanto o trabalho de Tite Kubo (Bleach), como de Takeshi Konomi (The Prince of Tennis), possui o mesmo mérito.

Relativamente às obras em si, quatro autores são explorados, seguindo-se uma lista com as respectivas obras, por forma a facilitar a leitura.
Osamu Dazai: No longer Human (episódios 1-4) e Run, Melos! (episódios 9 e 10);
Ango Sakaguichi: In the Forest, Under Cherries in Full Bloom (episódios 5 e 6);
Natsume Soseki: Kokoro (episódios 7 e 8);
Ryunosuke Akutagawa: The Spider’s Thread e Hell Screen (episódios 11 e 12, respectivamente).

Todas estas adaptações merecem ser vistas, contudo, No longer Human e Kokoro foram as que me conseguiram captar mais a atenção, não só pelos visuais, mas também, pela caracterização e qualidade da adaptação. A única adaptação que daria nota negativa, seria mesmo à obra de Ango Sakaguichi, onde foi conotado um humor desnecessário a uma história que teria sido interessante explorar dada a sua contextualização.

No geral, Aoi Bungaku Series, é um anime pesado que explora a natureza humana, apelando a diferentes pessoas mediante a obra. É impossível ficar indiferente.

They are evergreen because they are masterpieces

Leiam o Open Sesame da semana anterior aqui.

Comments