Frame by Frame Homeland TV

Homeland – 7×08 – Lies, Amplifiers, F***ing Twitter

Homeland

Homeland continua o percurso de uma sétima temporada cheia de eventos, mistério e suspense que são a “imagem de marca” da série. Este episódio é um dos mais importantes da temporada e marca o regresso de Carrie (Claire Danes) e Saul (Mandy Patinkin) ao ecrã como a eficaz equipa que já acompanhamos há 7 temporadas, sempre com vontade de ver mais.

Sobre Homeland – 7×08 – Lies, Aplifiers, F***ing Twitter

!Spoilers (faça scroll até à conclusão)!

As coisas estão a alinhar-se para o final. Sinto que ando a dizer isto desde o início, mas é só porque é assim com Homeland.

Carrie e Frennie

A vida pessoal e “profissional” de Carrie está em choque como nunca esteve. Muito pela razão em que usei as aspas na palavra profissional: ainda que não tenha um emprego dedica-se à causa como se vivesse dela.

Depois dos eventos que concluíram o episódio 7, Carrie deixa Franny (Claire Keane) na escola, como se se tratasse de um dia normal, e vai para para o trabalho. Claro que Frennie está traumatizada com o sucedido e conta à tia Maggie (Amy Hargreaves). Carrie parece na eminência de voltar a perder a custódia da filha.

Saul e Carrie voltam a ser uma equipa

Entretanto Carrie convence Saul a deixá-la participar no interrogatório de Dante (). Carrie está talhada para este tipo de situação e, na realidade, os melhores momentos da série são quando ela está em modo CIA a resolver problemas como só ela sabe.

Dante não confessa e tem, aparentemente, os álibis todos… Mas Carrie e Saul não são fáceis de ludibriar e Carrie arquitecta talvez o plano mais original que já vimos em Homeland. Dante confessa as suas ligações a Simone Martin (Sandrine Holt).

Simone Martin e os russos.

Simone Martin está prestes a testemunhar. Isolada e protegida numa localização segura, aguarda pelo dia. Na casa branca, Paley (Dylan Baker) tenta convencer Keane (Elizabeth Marvel) a deixar o lugar de presidente, evitando assim o testemunho de Simone e o embaraço que daí resultará. Keane recusa. É uma personagem sólida e bem construída, a presidente.

Perante isto, Wellington (Linus Roache) toma uma posição: abre o jogo com o embaixador russo e ameaça-o directamente.

Assim, os russos recuam na intenção de Simone testemunhar e extraem-na do seu posto seguro. O personagem de Yevgeni (Costa Ronin) é muito interessante e super misterioso. Parece ser o espelho de Carrie e a “luta” entre ambos é algo por que mal posso esperar. Não deverá ficar fechada nesta temporada, mas o primeiro “embate” deverá ser nos próximos episódios.

!Fim de Spoilers!

Conclusão sobre Homeland – 7×08 – Lies, Aplifiers, F***ing Twitter

Homeland entrou definitivamente na reta final. As coisas começar a fazer sentido e as intrigas a revelarem-se. É assim que funciona a série desde o primeiro episódio da primeira temporada: dão-nos pistas que nos apontam numa direcção, mostrando-nos gradualmente pistas que nos dizem que não é bem assim, até começarem finalmente a chegar a conclusões. A questão aqui é a credibilidade das mesmas. Homeland nunca falha em cimentar relativamente bem os seus twists. E aqui acontece o mesmo com a situação de Dante Allen.

Também o facto de voltarmos ter Saul e Carrie juntos no ecrã é gigantesco factor positivo para a série. Mas até aqui se vê a qualidade do showrunner. Às vezes é preciso afastar os dois personagens para criar alguma antecipação na sua reunião. Se estivessem sempre juntos a coisa tinha menos piada.

Estão assim lançados, como previ na semana passada, os dados para um excelente final de temporada, a penúltima de Homeland.

0 82 100 1
82%
Average Rating
  • 82%

Comments