Cinema Críticas

Crítica: A Taxi Driver (2017)

a taxi driver

Nome: A Taxi Driver

Título Original: Taeksi woonjunsa

Realizador: Hun Jang

Elenco: Kang-ho SongThomas KretschmannHae-jin YooJun-yeol RyuHyuk-kwon ParkGwi-hwa Choi

Duração: 2h17

 

Seoul, 1980. Um taxista coreano e um repórter alemão.

Em pleno regime ditatorial, o jornalista Peter (Thomas Kretschmann) decide contratar um taxista para o levar até Gwangju, tomado pela curiosidade dos boatos de uma manifestação. Kim (Kang-ho Song) é um taxista viúvo, de origens humildes e, não fosse a falta que o dinheiro lhe fazia, não teria corrido o risco de levar o repórter para uma região tão perigosa rodeada de militares.

É então que os dois decidem partir e, quando Kim pensou que apenas iria levar um cliente a um destino, apercebe-se de que já fazia parte da revolução em si. Juntos, testemunharam os horrores das manifestações e da guerra entre povo e exército. É muito interessante ver como Kim se vai transformando ao longo do filme à medida que se vai apercebendo da realidade que o rodeia e da forma como a informação é manipulada. Aí, Kim sente-se na obrigação de se juntar aos manifestantes e dar o seu contributo à relação.

Com todos os tipos de comunicação inativos, ninguém recebia notícias de Gwangju. Por isso, o objetivo de Peter era poder entrar na cidade com a sua câmara para poder gravar e, posteriormente, no Japão, poder contar ao mundo o que de fato se passava na Coreia do Sul. O papel da imprensa, os seus limites e a sua influência são muito bem explorados neste filme de Hun Jang.

Na versão real da história, o repórter alemão perdeu o rumo do taxista que o levou de Seoul até Gwangju na primavera de 1980. Até hoje, o seu verdadeiro nome e destino são desconhecidos, mas a sua atitude de bravura e coragem é algo que a Coreia do Sul não vai esquecer, mesmo que nunca associe esse ato a uma cara. No final do filme vemos mesmo o verdadeiro Peter, numa última esperança de voltar a reencontrar-se com Kim, descrevendo-o como um amigo corajoso que o ajudou a contar ao mundo a realidade da ditadura.

Este filme é, sem dúvida, uma grande aula de História. Uma boa alternativa para os não-amantes da ficção e interessados por filmes históricos.

Trailer:

Comments