Frame by Frame The Walking Dead TV

The Walking Dead – 8×13 – Do Not Send Us Astray

The Walking Dead

Simon tomou controlo dos Saviors e seguiu com o plano de Negan, à sua maneira.
Hilltop estava preparada, graças ao engenho da viúva em fúria, Maggie.
O plano de Negan resultou nada preparava Hilltop para isso!

The Walking Dead tem vindo a afirmar que os episódios consistentes vieram para ficar e Don Not Send Us Astray não foi excepção à regra.

Numa altura em que a série está a sofrer reformas a nível de narrativa, mas também de personagens, este episódio veio acelerar a reforma de personagens e de que forma!

Tobin e Tara foram (são) duas personagens das quais nunca fui fã. Personagens chatas, sem nada que as fizesse sobressair do grupo e muitas vezes serviam para puxar a série para trás.

Começando por Tobin, personagem que surgiu com o aparecimento de Alexandria já há um bom par de anos, nunca justificou o tempo que o mantiveram em The Walking Dead, enquanto personagem activa.

A sua partida só tem um pequeno “catch“, Carol. Carol sempre foi de “vai e vem”, por andar constantemente à procura da sua identidade. Ezequiel foi quem mais puxou por ela, para fazer com que ela se voltasse a conectar às pessoas que a rodeiam e com as suas qualidades (que são imensas), a ajudar o grupo a prosperar. Nestes últimos episódios, para além de ter sido ela a puxar por Morgan (que voltou a ter alucinações), começou a conectar-se com Tobin e pode-se dizer que Tobin até teve um impacto positivo nela.

O facto de ter de ser ela a mata-lo, foi pesado. Give Carol some rest!
Não se percebeu bem a objectividade por detrás disto. Carol já anda à muito em modo máquina, era altura de voltar a humanizá-la para lhe trazer um equilíbrio! Mas parece que vamos ter de esperar para saber quais os planos para ela.

Tara, desde a morte de Denise (às mãos de Dwight), nunca mais foi a mesma (não que isso fosse bom). O problema é que o facto de não ser a mesma, trouxe mais de negativo do que de positivo.
Com a comunidade que vivia junto à costa, podia ter oferecido um bom contributo para a equipa, mas falhou. Falhou no que a ia fazer ser relevante.
Nos últimos episódios falhou ainda mais por ressentimentos passados. Dwight desistiu de Negan, dos Saviors e ofereceu-se a Hilltop (chamemos-lhe assim ao povo de Rick, para ser mais fácil, sendo agora essa a casa mãe) de braços abertos, demonstrando-se uma mais valia. Não só por ter oferecido informações valiosas sobre as movimentações dos Saviors, mas também por ser uma personagem útil, ao contrário de Tara.

Tara acabou por estragar isso e entregou Dwight de novo aos Saviors. Agora estamos numa fase da série em que apesar de Dwight não querer nada com os Saviors, se sente obrigado a isso pela recusa de Hilltop e perde-se assim um bom trunfo.

Atenção: Tara ainda não é certo que morra. Rick também sofreu um arranhão que foi salientado ao longo deste episódio e apesar de criar tensão, acabou por não dar em nada. No entanto, dedos cruzados para que ela morra (de preferência a fazer algo útil, por fim).

Em relação à dinâmica do episódio, foi muito satisfatória.
Do confronto entre Hilltop e os Saviors, que foi entusiasmante tanto a nível estratégico como a nível de acção. Ao climax final onde inesperadamente (para nós que não sabíamos bem como a sequência de acontecimentos se ia desenrolar) tudo começou a descambar como uma fileira de dominós. A cena foi bem construída, pois sabendo que era uma transição “silenciosa” e dentro de Hilltop todos se sentirem seguros, foi fácil os seus habitantes terem sido apanhados em contra-pé e as consequências terem sido as que foram.

Os Saviors perderam a guerra no momento em que aconteceu, mas ganharam o pós-guerra face ao resultados que esta trouxe.

Falando dos males positivos, Henry.
Como é que um garoto consegue ser tão estúpido? Ainda que tente recordar-me de tudo o que Carl fez de mais imprudente, acho que nunca desceu ao nível de Henry.

Numa altura em que Hilltop estava a rebentar pelas costuras a nível de bocas para alimentar (muitas delas inúteis), havia uma boa porção que trazia um duplo problema. Os prisioneiros Saviors para além de serem mais um peso a nível de alimentação, eram um desperdício, pois o facto de não dar para confiar neles de ânimo leve, impedia a Maggie e companhia de os empregarem para algo de útil dentro da comunidade.

Graças à estupidez de Henry, parte dos prisioneiros fugiram, mas os que queriam realmente ajudar permaneceram e, assim, todas as perdas foram colmatadas. Isto vai acabar por resultar num refresh de personagens, o que pode acabar por ser bom.

Agora é esperar para saber o que querem fazer com Carol, de que forma os prisioneiros vão ser reintegrados dentro da comunidade e o que Dwight vai decidir. Mas mais importante: Sadis e Negan?

0 85 100 1

85%
Average Rating
  • 85%

Comments