Open Sesame Rubricas

Sword of the Stranger

Sword of the Stranger

O Open Sesame desta semana é dedicado aos amantes da Era dos Samurais.
Muitos são os filmes que retratam a disciplina e honra inerentes a estes guerreiros, no entanto, nem todos logram captar a sua verdadeira essência. Sword of the Stranger, é um dos exemplos de sucesso na caracterização de um Ronin e da extensão das suas acções. Lançado em 2007 e produzido pelo Estúdio Bones, posso já adiantar que é um filme simples mas substancialmente bem explorado.

Com efeito, Sword of the Stranger, é um filme que acaba por nos dar alguma acção desmedida, sem que se traduza necessariamente num ponto negativo. Afinal de contas é um filme inserido no Período Sengoku (1467-1573), marcado por conflitos internos e considerado uma das fases mais instáveis da história do Japão, precedendo o declínio do regime feudal. E apesar de não haver menção de tais factos, esta contextualização histórica está como implícita na caracterização do pano de fundo.

Acompanhamos assim, um órfão Kotarou e o seu cão Tobimaru que têm vindo a ser perseguidos por assassinos enviados pela China, os Ming (derivado da Dinastia Ming, império vigente de 1368 a 1644). É num templo abandonado, que são atacados e encontram um Ronin, Nanashi. Após serem salvos, Kotarou oferece a este Ronin uma gema em troca dos seus serviços como guarda costas. Algo relutante e apreensivo, Nanashi, aceita este trabalho que apesar de aparentemente inofensivo se revela numa jornada cheia de perigos e com uma profecia por cumprir.

Como referi, o conceito da história em si, não traz nada de novo ou irreverente, todavia, a sua execução está muito bem conseguida. A arte e banda sonora estão em plena consonância com o tema e as cenas de acção acabam por ser a verdadeira estrela do enredo. Explorando temas como a amizade, a ganância dos homens ou o sentido de integridade de alguns, Sword of the Stranger, é um anime que vale muito a pena ver.

Leiam o Open Sesame da semana anterior aqui.

Comments