American Crime Story Frame by Frame TV

The Assassination of Gianni Versace: American Crime Story – 2×09 – Alone

American Crime Story

CONTÉM SPOILERS! 

Chegamos então, ao final da segunda temporada de American Crime Story. Se inicialmente pensariamos que Gianni Versace (Edgar Ramírez) seria o protagonista e tudo andaria em volta dele, o certo é que desde cedo percebemos que afinal, era a vida de Andrew Cunanan (Darren Criss) que iria ser contada. Quem ele foi, o que ele queria, as suas vivências e um pouco também, a maneira como virou serial killer.

Terminando as viagens ao passado e o retroceder dos acontecimentos, voltamos ao fatídico dia do homicídio do estilista, como vimos no primeiro episódio. Numa sequência incrível ao som da música Vienna dos Ultravox, somos envolvidos de novo naquele momento que mudaria tudo, vendo ainda Cunanan a esconder-se numa “casa-barco” e abrindo champanhe que encontra.

Por esta altura, já há centenas de polícias atrás dele e aqui temos um regresso maravilhoso de Max Greenfield, que é levado para interrogatório e nos oferece um discurso que, poderia perfeitamente, resumir a série. O seu “amigo” não se estava a esconder, ele apenas queria ser visto. Ainda somos surpreendidos com o regresso de Marilyn (Judith Light), a viúva de Miglin, uma das vítimas, que não aceita que o homem que matou o marido continue à solta e, muito menos, ter de se esconder ou fugir. Apenas quer justiça. Que maravilha foi ver uma vez estes dois atores nestas personagens que, mesmo sem ter tanto destaque, conseguiram ficar-nos na memória.

Sem falhar nunca as notícias que passavam por todo o lado sobre si, Andrew acaba por se deixar cair no desespero quando vê a sua mãe ser levada pela polícia ou a sua melhor amiga a pedir-lhe para ele se entregar. Sem outra solução aparente, acaba por pedir ajuda ao seu pai, mas este mais uma vez demonstra que só pensa em si próprio e o filho sempre foi um objeto nas suas mãos. Não consigo perceber se desistiu ou se finalmente havia cumprido aquilo que pretendia, o certo é que Cunanan ficou encurralado pela polícia mas não se deixou ser apanhado. Deu um tiro na cabeça antes da polícia chegar a si.

Também Donatella (Penélope Cruz) e Antonio (Ricky Martin) deram o ar de sua graça no último capítulo e que presenças. Martin é uma surpresa e foi doloroso ver a maneira como o seu personagem termina. Depois de uma vida ao lado de Versace, vê-se sem nada, ao não ser reconhecido por ninguém como o companheiro deste. Vemos numa das últimas cenas a tomar comprimidos com álcool, numa tentativa de se matar, o que não acabou por acontecer, estando ainda vivo hoje em dia.

As cenas que envolvem o funeral, onde estava presente não só a família, como várias figuras públicas, como a princesa Diana, foram extremamente bem realizadas e fiquei completamente arrepiado com tudo. Antonio à parte de tudo, rejeitado e Cunanan a assistir com as imagens projetadas na parede. Que loucura!

Nada que o assassino fez é desculpável. Todos os crimes foram cruéis e executados sem piedade e com a série deu para perceber um pouco de onde ele vem, o que o fez crescer desta maneira e tomar este rumo de vida. A última cena pode demonstrar o porquê deste ter morto Gianni. Ele queria ser como ele e este rejeitou-o.

Todos os episódios foram extremamente filmados, com atenção à fotografia, transportando-nos na perfeição até aos anos 90, o que nos fez ficar completamente agarrados à história. Também a maneira como quiseram contar tudo, da frente para trás, foi diferente e ficavamos sempre na expetativa do que iriamos ver na semana seguinte.

As interpretações foram acima da média, com destaque claro para Darren Criss que se superou a cada cena, a cada episódio e estará certamente na lista de nomeados nos prémios que virão. A sua carreira só pode crescer depois disto.

Depois de uma primeira temporada cheia de tensão, esta tanto nos deixou maravilhados como horrorizados. Vimos a dificuldades da comunidade LGBT na época, vimos a ostentação e o luxo como viveu o famoso estilista, assim como entramos a fundo dentro da mente de um miúdo, que toda a gente adorava, mas que ninguém realmente conhecia.

0 92 100 1
92%
Average Rating

Depois de uma primeira temporada cheia de tensão, esta tanto nos deixou maravilhados como horrorizados. Vimos a dificuldades da comunidade LGBT na época, vimos a ostentação e o luxo como viveu o famoso estilista, assim como entramos a fundo dentro da mente de um miúdo, que toda a gente adorava, mas que ninguém realmente conhecia. 

  • 92%

Comments