1986 Frame by Frame TV

1986 – 1×05 – A Grande Festa

1986: A Grande Festa

Chegou o grande dia. Mas as coisas começam mal. Ao chegar ao local da grande festa, Tiago (Miguel Moura e Silva) apercebe-se que está entre a espada e a parede. A história dificilmente vai acabar bem para o lado dele.

O episódio 1986 – 1×05 – A Grande Festa

!Spoilers!

Como quem acompanha a série já sabia, a festa onde o DJ Top Jackpot vai fazer a sua triunfal actuação é uma festa de apoio a Freitas do Amaral. Isto coloca o Tiago numa posição muito difícil. De um lado a necessidade de agradar a Marta (Laura Dutra) e as possibilidades que isso abre na sua vida amorosa. Por outro lado, o desgosto de morte que vai dar ao pai se ele souber.

Como se costuma dizer, quem tem amigos não morre na prisão. Tiago conta com a preciosa e criativa ajuda de Sérgio (Miguel Partidário). Ele tem sempre uma solução. Nem sempre a mais ortodoxa, mas enfim. Neste caso terá que servir. A solução passa por actuar disfarçado. Naranjito, mascote do Mundial de 82, é o disfarce escolhido. Daí até associar a laranja a uma ligação ao PSD é só um saltinho… Infelizmente Freitas é do CDS. Mas isso nem sequer é relevante porque festa é festa!

Aproveitando a festa do filho, Eduardo (Adriano Carvalho) decide combater a sua solidão recorrendo a um serviço de “massagens ao domicílio”. E não faz por menos: contacta uma sósia da Olivia Newton John. Não tarda a descobrir que foi vítima de publicidade enganosa. A “massagem” não corre pelo melhor, mete vodka pelo meio, e com vokda as decisão são quase sempre as piores. Eduardo decide invadir a festa de apoio a Freitas.

A Grande Festa

A grande festa de apoio a Freitas do Amaral começou bem. Narajito começou a lançar o seu poderio sonoro e a demonstrar o seu domínio no vinil, digna dos melhores DJs. O público acedeu. A festa estava ao rubro e até Marta estava entusiasmada… Mas Gonçalo (Henrique Gil) queria um slow. Mas Tiago sabe que um slow ia permitir a Gonçalo e Marta uma dança mais íntima e isso queria Tiago para ele. Não para Gonçalo 

Quando tudo parece bem, Eduardo invade a festa. E o céu desaba sobre o Narajito.

Conclusão sobre 1986 – 1×05 – A Grande Festa

Este é o melhor episódio da série. Vou dizer mais: este é a melhor coisa que vi na TV em português este ano.

A interpretação dos actores é muito boa, tal como nos episódios anteriores, mas em “A Grande Festa” isto é mais evidente talvez fruto dos eventos da própria narrativa do episódio. Por exemplo, a situação pessoal de Eduardo é um dos destaques do episódio e a forma como quer a filmagem quer a interpretação são feitas permitem ao espectador um maior entendimento daquilo que o personagem é, aquilo que ele sofre e aquilo que lhe faz mais falta. Eduardo sente-se sozinho. Não precisa apenas de sexo, pois se assim fosse a “sósia” de Olivia Newton John teria resolvido o problema. Eduardo precisa de companhia. Calor humano. Alguém com quem ver bom cinema e partilhar as suas críticas e as suas visões do mundo. Sente falta, não de uma mulher, mas da mulher. Ainda por cima a sósia não era sósia e… Uma prostituta (Alice Medeiros) apoiante da direita?! Um ultraje! Até este detalhe é delicioso.

Este episódio é praticamente perfeito. Até a sátira política e social feita à esquerda e à direita é acutilantemente bem feita. Desde um comunista exacerbadamente utópico como Eduardo até a um Freitas do Amaral que não sabe onde fica a Amadora.

1986 começa assumir contornos de clássico.

0 96 100 1

96%
Average Rating
  • O episódio 1986 – 1×05 – A Grande Festa
    96%

Comments