Frame by Frame Marvel's Jessica Jones TV

Jessica Jones – 2×12 – AKA Pray for My Patsy

Jessica Jones

CONTÉM SPOILERS!!!

Jessica Jones está prestes a terminar a sua segunda temporada, e parece que a série está a preparar para uma season finale a condizer com o negrume da temporada.

Como se não bastasse Trish (Rachael Taylor) dar entrada ao hospital por causa da cirurgia que, teoricamente, lhe daria poderes, Jessica (Krysten Ritter) descobre que a sua mãe (Janet McTeer) fugiu da prisão. E ela está mesmo zangada!

O episódio inteiro foi uma espécie de crescendo, com a trama a preparar a inevitável reunião entre mãe e filha. No entanto, as dinâmicas estão completamente diferentes do que temos visto das duas até agora: Alisa, de luto pela morte do seu amado doutor, está disposta a tudo para poder matar Trish, a pessoa que esta acredita ser responsável por todas as desgraças que têm acontecido nesta temporada; Jessica, por outro lado, está disposta a tudo para tentar travar a sua mãe. Com uma setup destas, seria de esperar vários momentos de tensão entre as duas personagens, e foi isso mesmo que se registou com estas duas neste episódio.

Mas até estas reuniões acontecerem, também tinha de haver espaço para preencher. Entra o drama familiar entre Jessica e as Walker. Sem quaisquer surpresas, a relação entre Jess e Dorothy (Rebecca De Mornay) tem mais baixos do que altos e este episódio flutuou entre ambas as vertentes num ápice, o que nem nos surpreende. Mas se há emoção, mais vale ver a relação frágil entre Jessica e Trish. Taylor pode ter ficado bastante atrás nessa vertente (muito por teimar em manter o seu “guião” que tem mostrado ao longo dos últimos episódios), mas Ritter volta a roubar as atenções, com um momento cheio de dor emocional mas que parece real. 

Quem também está zangada esta semana é Jeri (Carrie-Anne Moss). Após quase uma temporada inteira em que os guionistas não souberam dar um rumo concreto para a personagem, eis que “ser alvo de uma vigarice” foi o empurrão que a personagem estava a precisar para poder fazer algo mais concreto. Por um lado, ainda vai ter de lidar com a questão da sua mortalidade; mas por outro lado, ela ganhou mais uma arma para poder executar a sua vingança pessoal. Ainda que não possamos aguentar com a personagem, a verdade é que, desta vez, as suas ações imorais ganham uma melhor justificação do que Trish ter poderes só porque não se quer sentir indefesa. No entanto, fazer uma mudança destas perto do final da temporada rouba quaisquer outras oportunidades de a personagem brilhar.

0 78 100 1
78%
Average Rating

Comments