Frame by Frame Homeland TV

Homeland – 7×05 – Active Measures

Homeland

Active Measures é um episódio de continuidade em Homeland. Continuidade não só em termos narrativos, como também em termos qualitativos. Além disso, relembra-nos que nem tudo é o que parece na intrincada rede de influências dos personagens da série, tal como tem sido em todas as temporadas da série até ao momento.

Na realidade, essa é a receita que tem tornado Homeland na série de sucesso que é hoje. Uma série que se soube reinventar regularmente, sem deixar cair a forma como faz estes twists & turns tão bem.

Seguem-se spoilers daqueles bravos!

Esta semana voltam-se a manter as principais storylines separadas. A julgar pelo trailer, deverão tocar-se levemente no próximo episódio. Para já, Saul (Mandy Patinkine Carrie (Claire Danes) estão a seguir o seu próprio caminho, tentando atingir objectivos específicos diferentes, ainda que, no fundo, o seu grande objectivo final seja comum.

O’keefe (Jake Weber) está preso. Mas as repercussões do que aconteceu no rancho ainda agora se começaram a fazer sentir. A opinião pública está aparentemente do lado dos rebeldes, influenciada pela forma violenta como a operação terminou.

A Presidente Keane (Elizabeth Marvel) decide arriscar com um plano que pode unir os dois lados neste momento difícil. Keane usa esta situação delicada completamente a seu favor, ao enviar as famílias dos agentes do FBI mortos no assalto à cerimónia organizada para os rebeldes mortos.

Carrie organiza uma equipa de experts para tentar apurar os detalhes do envolvimento de Wellington (Linus Roache) na morte do General Jamie McClendon (Robert Knepper). As cenas das acções da equipa formada por Carrie são do melhor nível que Homeland nos habituou e a equipa consegue arrancar de Simone Martin (Sandrine Holt) a confissão de que o dinheiro que depositou foi realmente para pagar a morte do General McClendon… Mas depois Carrie descobre que Wellington nada tem com isso, ao contrário do que ela pensava… E eu também, já agora.

Saul volta as suas atenções para a Rússia. As fake news, os tweets, e todos pequenos eventos que provocaram fissuras na administração americana e na confiança do povo fizeram com que Saul desconfie de um velho conhecido dos mais fiéis fãs da série: Ivan Krupin (Mark Ivanir).

Conclusão sobre Homeland

Homeland está a transpor para a ficção muitos traumas actuais da sociedade e da política americana. A sociedade está profundamente dividida e algumas pessoas olham para a serie não como ficção ou entretenimento mas como propaganda política de esquerda. Isto mostra-nos o quão sensíveis são os temas que Homeland aborda. Mas a série aborda-os de forma eficaz, do ponto de vista técnico, claro.

A narrativa da temporada começa a desenrolar-se e os caminhos dos personagens a cruzarem-se. É a “táctica” do costume na série. Mas desta vez os personagens secundários parecem mais sólidos. Wellington, Keane, Max (Maury Sterling) e O’Keefe estão bem estruturados e eximiamente interpretados.

Nos próximos episodios a trama adensar-se-á. Saberemos mais sobre Simone Martin e Carrie deverá tentar falar com Saul. De certeza que não sou o único a acreditar que Homeland está numa boa fase, mas que está prestes a ficar ainda melhor!

0 81 100 1

81%
Average Rating
  • Homeland – 7×05 – Active Measures
    81%

Comments