Frame by Frame Legends of Tomorrow TV

Legends of Tomorrow – 3×11 – Here I Go Again

Legends of Tomorrow

CONTÉM SPOILERS!!!

Já não é exatamente uma novidade quando Legends of Tomorrow decide fazer uma espécie de paródia de um clássico do cinema (a mesma série já tinha feito o mesmo com Phone Home; já agora, podem ler a nossa crítica aqui). Desta vez, o filme Groundhog Day é a “vítima” desta semana.

Esta semana, as Lendas encontram-se presas numa time loop (algo que já era inevitável que fosse acontecer numa série que anda à volta do conceito de viagens no tempo), reiniciando sempre uma hora antes de a Waverider explodir. E o único membro da tripulação que consegue recontar os mesmos eventos uma e outra e outra vez é Zari (Tala Ashe), a entrada mais recente na equipa!

Eis a questão sobre a presença de Zari na série: apesar de ser mais uma cara nova para agraciar a The CW semana após semana, a verdade é que a personagem tem-se revelado como uma grande desilusão. Foi um bom twist o facto de esta pertencer ao futuro (ao invés do passado ou do presente, como os restantes membros do elenco), mas que de nada vale se a personagem alguma coisa por onde pegar. Também existe a questão de não possuir a mesma química natural que os restantes membros da equipa possuem.

Por isso, estávamos à espera de tudo quando se soube que a personagem seria a protagonista do episódio desta semana. E a verdade é que até surte o seu resultado particular. Zari, como a outsider do grupo, não conhece muito bem a equipa, e este episódio serviu para esta aprender mais alguns detalhes secretos dos seus colegas. Desde a tensão sexual entre Nate (Nick Zano) e Amaya (Maisie Richardson-Sellers), o hobby “interessante” de Rory (Dominic Purcell) ou o flirt entre Sara (Caity Lotz) e Ava (Jes Macallan). São pequenos detalhes que, através dos olhos e experiências de Zari, nos aproximam cada vez mais da equipa, quiçá, de uma forma ainda mais pessoal. 

Mas nada serviria se Ashe não se mostrasse à altura do desafio. E, para todos os efeitos e circunstâncias, a atriz saiu a ganhar com esta sua one-woman-show. A personagem vai atravessando as várias fases típicas de uma aventura em time loop, o que permite mostrar várias facetas (algumas delas bem cómicas ou tocantes) da personagem que, em circunstâncias diferentes, não veríamos.

No entanto, fica a ideia de que este episódio foi praticamente uma espécie de filler episode. Tem o seu drama que ajuda a explorar melhor esta personagem inédita, claro; no entanto, este episódio comete o erro de manter-se centrado no seu pequeno universozinho. E como se tal bastasse, ainda se teve a uma cena pré-créditos que pareceu apenas preparar para o episódio da semana que vem e que pareceu bastante fora do sítio.

[revierw]

Comments