Open Sesame Rubricas

Sarusuberi: Miss Hokusai, um tributo à sombra de um grande pintor

Sarusuberi Miss Hokusai

O Open Sesame desta semana é sobre Sarusuberi: Miss Hokusai (2015), filme distinguido com vários prémios na categoria de animação. Para uma pequena contextualização, Sarusuberi: Miss Hokusai, passa-se no Período Edo (1603-1868) em 1814. Um período caracterizado pelo avanço da cultura e arte após guerras civis e conflitos internos, mas também, pela hierarquização das classes sociais.

Nesta época de paz e de florescimento cultural, acompanhamos o génio de Tetsuzo (Katsushika Hokusai) e a sua relação com a terceira filha do seu segundo casamento, Oei. Apesar do seu reconhecimento dentro do Japão, somente mais tarde, na década de 1820, surge a obra que faz o nome de Hokusai: A Grande Onda de Kanagawa.
Neste sentido, este filme não se centra propriamente nesse período da sua vida nem, por sua vez, na sua vida em concreto. Sarusuberi: Miss Hokusai, surge como um tributo à mulher que o assistiu e contribuiu para a sua arte ao longo da sua vida.

Com 23 anos de idade, Oei, herdou este talento. No entanto, apesar do seu espírito livre, enfrenta a sombra do seu próprio pai. Dada a natureza volátil de Tetsuzo, muitas das vezes observamos Oei a completar trabalhos sob o nome do seu pai ou lutando, simultaneamente, por deixar a sua própria marca no mundo artístico.

A animação e os pormenores de Sarusuberi: Miss Hokusai, tornam este filme algo único, caracterizado pela subtileza da cultura japonesa. Principalmente, na descrição do cenário da cidade de Edo (actualmente, Tóquio). Este filme tanto nos permite ver o génio como os defeitos deste artista. Por seu turno, não havendo um objectivo no desenvolvimento do enredo, consegue-nos transmitir as emoções e sentimentos das personagens com o decorrer de eventos. Desde o medo e cobardia de Tetsuzo à melancolia e ambição de Oei.

Se teria algo a apontar, seria a OST que contrasta com o período e época. Contudo, Sarusuberi: Miss Hokusai, é definitivamente um anime a ver para aqueles que apreciam a história do Japão.

Leiam o Open Sesame da semana anterior aqui.

Comments