Frame by Frame The Gifted TV

The Gifted – 1×12/13 – eXtraction/X-roads

The Gifted

CONTÉM SPOILERS!!!

Ora bem, pessoal, cá estamos nós para a primeira season finale de The Gifted. Ainda por cima em dose dupla, portanto, já podem esperar por material que chegue.

Numa tentativa desesperada, Lorna (Emma Dumont), Marcos (Sean Teale), John (Blair Redford) e Clarice (Jamie Chung) fazem uma aliança frágil com as trigémeas Frost (Skyler Samuels) para raptar Campbell (Garret Dillahunt) e acabar com as suas investidas. No meio disto tudo, os Struckers tentam perceber algo mais sobre os estudos de Otto, estudos esses que Campbell continua ativamente em busca.

Com as equipas divididas, o episódio deu destaque equilibrado entre as duas vertentes, cada uma delas com a sua dose de desafios a superar. No caso de Marcos e companhia, a chegada das Frost veio a trazer uma certa tensão para a equipa. Embora todos os membros da Mutant Underground tente o seu melhor para resistir aos impulsos violentos após uma vida repleta de perseguições, torturas e violência, há alguns que estão a pender para um dos lados. O caso de Lorna é o que está em maior destaque nestes dois episódios. A personagem foi testemunhando uma evolução gradual ao longo da série, e não, não se deve aos distúrbios mentais de que padece, mas pela sua própria visão de um futuro digno para a criança que há-de nascer. Graças à influência das Frost, Lorna ameaçou passar uma linha que jamais será passada. Mas é destes dilemas que vive The Gifted, e Emma Dumont esteve claramente à altura do desafio, deixando-a numa posição claramente diferente de como começou esta temporada.

Mais uma vez, os Strucker tiveram direito à sua dose de atenção semanal para os seus problemas familiares, desta vez com a Trask Industries e as Sentinel Services em busca de Ellen Strucker (Sharon Gless) e de respostas concretas sobre os mistérios de Otto. Isto levou aos Strucker em mais uma viagem e tentar ajudar Ellen, mas não sei antes trazer outro problema familiar: a rivalidade entre Lauren (Natalie Alyn Lind) e Andy (Percy Hynes White). Temos testemunhado uma constante união entre os irmãos Strucker, uma união que, por algumas vezes, parecia fora do natural. Mas também Andy tem sofrido uma mudança de opinião sobre como lidar com a situação delicada em que se encontram, portanto, já seria de esperar alguns problemas pelo meio destes dois irmãos.

No entanto, a season finale não está imune a falhas. E uma das mais visíveis é a seguinte questão: qual dos dois episódios saiu a ganhar? Claramente, foi o primeiro episódio que ficou a perder. Pode ter tido os seus bons momentos (como o acima mencionado problemas com os jovens Strucker ou a escuridão de Lorna), mas ao ver este episódio, fica-se na ideia de, mesmo com o apoio das Frost, todos os eventos testemunhadas foram bastante familiares, por já termos visto o mesmo desfecho vezes e vezes sem conta.

Em contraste, o segundo episódio marcou o ponto de viragem para a série em si. Ao passo que Marcos, John e Blink tentam salvar Lorna de cometer um erro sem volta a dar, os Strucker acabam, inadvertidamente, por se tornar nos líderes da Underground com a chegada dos Sentinel Services. Embora a ação não tenha sido tão explosiva quanto se esperava, a verdade é que esta sequência deu um novo papel a Reed (Stephen Moyer) e Caitlin (Amy Acker), numa missão que, apesar de um resultado agridoce, acabou por ser um sucesso.

Mas o que se pode esperar sobre o que reserva The Gifted para a sua recém-confirmada segunda temporada? Pouco ou nada se sabe; apenas se sabe que se podem esperar novas dinâmicas e mudanças no status quo. Agora, basta esperar.

0 69 100 1
69%
Average Rating

The Gifted encerra a sua temporada inaugural com uma season finale dupla que ilustra tanto os pontos fortes como os fracos da série.

  • eXtraction
    64%
  • X-roads
    74%

Comments