Open Sesame Rubricas

Koe no Katachi, a sociedade em pequena escala

koe no katachi

No Open Sesame desta semana falamos sobre Koe no Katachi (A Silent Voice), baseado na manga escrita e ilustrada por Yoshitoki Ooima. Apesar deste filme ter sido lançado em 2016, só ficou disponível fora do Japão em 2017. Posto isto, tinha grandes expectativas para este filme, bem como, a temática que explora. Em antemão, posso dizer que foram totalmente correspondidas.

No ensino primário Shouya Ishida era claramente o líder do grupo e, para o pior dos efeitos, tentava manter o seu estatuto de class clown. Mal ele sabia que a sua vida iria dar uma volta de 180 graus com a transferência de uma menina surda para a sua turma, Shouko Nishimiya. Ao início é certo que houve alguma curiosidade da parte da turma na sua integração, no entanto, pouco tempo depois, observamos a saturação dos colegas face às dificuldades que Shouko enfrenta no seu dia-a-dia. Apesar das tentativas de comunicação de Shouko, esta é alienada e, consequentemente, alvo de bullying para diversão da turma. Quando a situação é exposta ao Director da escola, Shouya recebe a responsabilidade de tais atos e é ostracizado pela turma.

É neste ambiente que Shouya cresceu. Num mundo onde outrora tratado como rei e, após a queda, ignorado pelos próprios professores e colegas. Agora no seu terceiro ano do secundário, Shouya, vive com as consequências do seu passado. Numa tentativa de remediar e obter perdão, acompanhamos a sua emocional reunião com Shouko.

Deste modo, Koe no Katachi, explora temas como bullying, a importância da aceitação e autoestima. Contudo, também se foca nas consequências e relações existentes após Shouya ser confrontado. Numa pequena escala, mostra a hipocrisia existente na nossa sociedade. Como muitas das vezes compactuamos com realidades que consideramos erradas e como o simples acto de não fazer nada é, por si só, condenável.

No entanto, peca no desenvolvimento das restantes personagens. A história gira muito em torno de Shouko e Shouya. Apesar de termos a contextualização certa, não se esforçaram em explorar  o que motivava tais comportamentos.

No geral, Koe no Katachi, é claramente um must-watch, com uma arte e OST sem par. Contando com pormenores interessantes na sua animação, desde a forma como Shouya vê as restantes personagens aos silêncios existentes. Essencialmente, um filme com uma mensagem importante e elevada carga emocional.

Leiam o Open Sesame da semana anterior aqui.

Comments