Cinema Críticas

Crítica: Mudbound

Mudbound

Título original: Mudbound

Título: Mudbound

Realizado por: Dee Rees

Elenco: Jason Mitchell, Garrett Hedlund, Carey Mulligan, Jason ClarkeMary J. BligeJonathan BanksRob Morgan

Duração: 134 min.

Silence, oppression, fear… It would take an extraordinary man to beat all that.”

Dois veteranos de guerra, um branco, um negro (Jamie e Ronsel, respectivamente) regressam a casa, onde vão ter de lidar ambos com os seus problemas, um com PTSD, outro com o racismo de uns Estados Unidos intolerantes com as pessoas de cor.
Apesar desta nova realidade, onde ainda não há acompanhamento especializado para as PTSD e o ser de outra cor é um problema aos olhos dos demais, Jamie e Ronsel mantêm uma amizade longe dos olhares de todos, onde de certa forma se entre-ajudam a reajustar à vida pós-guerra e a encontrar felicidade a partir da partilha de experiências e ideologias.

Nem sempre é um facto consumado no que toca a filmes, mas com Mudbound, a Netflix acertou em cheio.
Uma história bem escrita (baseada na obra de Hilary Jordan), na qual é depositada muita emoção e simbolismo por parte da maioria do cast, e quando a história é complementada desta forma por good-acting, é fácil ser-se absorvido pela mesma.

Como pontos positivos Mudbound conta também com um contexto histórico no meio rural (anos 40 pós-2ª Guerra Mundial) que, por si só, é bastante interessante.
A sequência de cenas durante a guerra, são simples, mas bem conseguidas.
A caracterização do meio e os maneirismos das personagens (ajustados à realidade abordada) ajudam a tornar o filme mais rico.
Nota especial para a performance de Mary J. Blige. Just WOW!

Mudbound é a prova que ser independente, não implica pretensiosismos típicos, chegando assim ao público uma imagem clara, com um produto de imensa qualidade. Tudo bem que o budget era de 10 milhões de dólares, mas valeu cada cêntimo investido.
Para além tudo isto, a verdadeira essência do filme, está contida na narração por parte de algumas das personagens, que à primeira vista parece descontextualizada, mas com o decorrer do filme, se complementa a si própria e ganhando sentido.

Trailer – Mudbound

Comments