Cinema Críticas

Crítica: Leatherface

leatherface

Título original: Leatherface

Título: Leatherface

Realizado por:  Alexandre BustilloJulien Maury

Elenco:  Stephen DorffLili TaylorSam StrikeVanessa GrasseFinn JonesSam ColemanJessica MadsenJames Bloor

Duração: 130 min.

Chegou o antecipado Leatherface, O novo trabalho do franchise The Texas Chainsaw Massacre. Cronologicamente serve como pré-sequência do original de 1974, mostrando a génese do Leatherface. Este é um daqueles filmes que tem um trailer super empolgante… Vejamos se o filme corresponde ou se apenas puseram as melhores partes no trailer…

Leatherface tem sobre o seu pescoço o peso de servir de prequela a um dos melhores filmes de terror de sempre e o facto de ser o primeiro filme do franchise em 11 anos.

Além disso há aquele gigante detalhe de uma prequela ter de trabalhar com material do qual já se conhece o final. Por isso, o guião tem de ser robusto o suficiente para agarrar o espectador e fã do franchise que, no geral, já estão desagradados com o rumo que esta levou.

Pela mão da dupla francesa Julien Maury e Alexandre Bustillo, que já nos trouxe Aux yeux des vivants  e Livide, chega-nos então este filme que não poupa nos litros de sangue, mas falha basicamente em tudo o resto… Principalmente no facto de se desviar um pouco do espírito do franchise. Muito pouca coisa em Leatherface remete para os outros títulos, nomeadamente para o original. Isso até pode ser bem visto se acharmos que o franchise precisava de ser agitado. Mas mesmo aí falha. O ambiente tradicional de Chainsaw Massacre só chega a ser lembrado no desfecho e, mesmo aí, é tudo rápido de mais para funcionar.

O enredo acompanha quatro jovens que escapam de um hospital psiquiátrico. Estes jovens levam consigo a enfermeira Lizzy (Vanessa Grasse). O grupo é composto por Ike (James Bloor), Clarice (Jessica Madsen), Jackson (Sam Strike) e Bud (Sam Coleman). Embora não fossem próximos dentro da instituição, durante a confusão da fuga, acabam juntos.

A identidade do Leatherface é um mistério durante quase todo o filme, sendo apenas revelada no final. Nos últimos 20 minutos, o filme assume a faceta de um verdadeiro filme do Massacre com muito barulho de serra, membros amputados e sangue por todos os lados. O problema é tudo o resto.

A primeira hora de Leatherface é uma história quase aleatória. Surge como se fosse um filme completamente independente de todos os outros. O desenvolvimento desse enredo em si não é mau, mas quando o final chega e traz todas as características do franchise, tudo já ficou arruinado pelo início.

Quanto aos personagens, eles cumprem os seus papéis mas não vão além disso.

Sendo uma prequela, Leatherface falha em não capturar a essência que fez Texas Chainsaw Massacre ser um dos melhores filmes de terror de todos os tempos.

A produção criou boas cenas de gore e finaliza com um desfecho ágil e violento, mas tudo isso não salva o filme de ser uma grande perda de tempo.

Trailer | Leatherface

Comments