Frame by Frame Marvel's Inhumans TV

Inhumans – 1×06 – The Gentleman’s Name is Gorgon

Inhumans

CONTÉM SPOILERS

Preparados para mais uma dose de desilusão semanal que é Inhumans?

Nas últimas semanas, a série tem feito os seus maiores esforços para tentar explorar o passado da Família Real e tentar, desta forma, atenuar os maus resultados pela qual a série é “famosa”. Personagens como Black Bolt (Anson Mount), Maximus (Iwan Rheon), Medusa (Serinda Swan) ou Karnak (Ken Leung) tiveram direito a momentos de destaque durante a primeira temporada (até mesmo Medusa teve direito ao seu nome estampado no título de um dos episódios). E, de uma certa forma, só ficaram a ganhar por uma melhor exploração. Com The Gentleman’s Name is Gorgon, o mesmo se esperava no que se toca a Gorgon (Eme Ikwuakor), uma das personagens que teve o menor tempo de exposição possível. Existia uma possibilidade – remota – de que este tivesse finalmente o destaque já estava a precisar a uns episódios atrás. Infelizmente, tal não se registou. 

Para esta semana, tensões e maquinações estiveram em alta: por um lado, Auran (Sonya Balmores) mantém Declan (Henry Ian Cusick) e Sammy (Faleolo Alailima) reféns, com esperança de atrair a Família Real e acabar com eles de uma vez por todas; Maximus continua a sua queda livre na loucura, ao mesmo tempo que tenta lidar com um movimento revolucionário em Attilan. E ainda pelo meio houve um subplot sofrível protagonizado por Crystal (Isabelle Cornish) e Dave (Chad James Buchanan). 

Por um lado, tenho de reconhecer um fator favorável neste episódio em detrimento dos episódios anteriores: o maior foco nas sequências de ação, que culminaram num assalto ao laboratório de Declan. Não foi um momento perfeito, de todo, mas em comparação aos restantes, foi melhorzito.

É uma pena, então, que tal seja ofuscado por um péssimo trabalho de character development. Os vários intervenientes do episódio – tirando Gorgon e Karnak, os protagonistas da sequência da ação acima mencionada – pouco ou nada fizeram do que ficar parados sem fazer nada além de procurarem por Crystal. Sim, houve um bom momento em que discutem sobre como lidar com Maximus assim que chegarem inevitavelmente a Attilan, mas não houve tempo para mais.

O mesmo se aplica a Crystal, que continua a exibir uma faceta de “nariz empinado” e de, perto do final da temporada, só agora pensar numa solução eficaz para reunir a família. E a decisão de incluir a irritante Audrey (Liv Hewson) somente adiciona um pouco mais de irritabilidade ao episódio. 

Maximus e o seu reino de Attilan parecem estar por um fio fino, não apenas pela revolução inevitável, mas também por estar a demonstrar um lado mais louco do personagem a cada semana que passa. Rheon não é nenhum estranho no que se toca a interpretar personagens loucas, e aqui ele mostra sinais diferentes da sua decadência. No entanto, nota-se um claro desinteresse do ator pelo personagem que está a interpretar. E fica no ar o receio de que o pior ainda está para vir.

0 47 100 1

47%
Average Rating

Aparte da sequência de ação, este é mais um episódio habitual de Inhumans. Simplesmente mau.

  • 47%

Comments