Cinema Críticas

Crítica: The Emoji Movie

The Emoji Movie

Título: Emoji: O Filme

Título original: The Emoji Movie

Realização: Tony Leondis

Elenco: T.J. Miller, James Corden, Anna Faris, Maya Rudolph, Patrick Stewart

Duração: 86 minutos

The Emoji Movie é protagonizado por Gene, o Emoji “Meh”, que tem todas as emoções dos emojis. Para corrigir esse problema segue em viagem, com a Jailbreak e a mão Hi-5, através do universo digital e várias aplicações à procura da nuvem de origem para descobrir qual a sua verdadeira expressão.

Logo desde o início que se começa a pensar: quem foi o desafortunado que teve que olhar para um telemóvel, transformar estes símbolos em personagens e criar uma história para elas? Percebe-se que seja uma missão complicada, ou talvez até impossível. Previa-se o desastre!

Então o que é que esse desafortunado tentou fazer? Conjugar Wreck It Ralph com tecnologia e Inside Out com as emoções. Foi completamente ao lado! Nesses dois filmes sentia-se que quem estava por trás do projeto conhecia bem o tipo de jogos retratados e o funcionamento de um cérebro humano respectivamente. Cativaram quem tinha conhecimentos nesses temas e mesmo quem não tinha pela forma inteligente como usava a história para os explicar.

Este filme parece que foi feito por alguém que nem sequer usa emojis, alguém de uma outra geração que observa a malta nova a usar as apps e tecnologia da moda e divagou acerca de como a “coisa” funcionará. Sugere mesmo que nem houve pesquisa, que olhar para o telemóvel foi mesmo o único ponto de partida.

Até no humor foi poupado trabalho. O diálogo é muito básico e completamente previsível. Não se pode dizer que não é minimamente engraçado, mas é tudo centrado no tópico de que são emojis e na emoção de cada um. Muito fácil! Até os mais novos, que ainda não percebem a ciência do uso dos emojis e que vão ao cinema pela “bonecada”, não soltaram risos nem gargalhadas.

As cenas dos humanos eram remotamente mais interessantes. A hora de escolher o emoji a usar nas conversas é a única altura que o filme nos diz algo, já que é uma experiência familiar ao público e por isso tornou-se mais apelativo que a cidade dentro do telemóvel. Mas tal foi desperdiçado por esses momentos serem tratados como complemento, algo que só se incluiu porque tinha de ser e que não devia ser muito explorado. E o facto de se assumir que os humanos só usam emojis como fonte de comunicação é revoltante. Embora fosse mais feliz, ao dar muito ênfase a esta vertente da história o filme deixaria de ser dos emojis. No entanto tudo leva a crer que estes bonequinhos não têm capacidade para suportar uma história.

Tudo isto para dizer que a Sony Pictures Animation nem tenta disfarçar que este filme apenas foi feito para promover as apps do momento. Elas aparecem todas: Facebook, Instragram, Spotify, Candy Crush, Dropbox entre outras. Até há uma viagem no passarinho do Twitter! The Emoji Movie é apenas isso, um anúncio publicitário de hora e meia complementado com uma história sem sentido nem objetivo, para se poder dizer que é um filme.

Conclusão, The Emoji Movie é um filme completamente desnecessário, sem fundamento e bastante chato! A melhor forma de o descrever é precisamente enunciando o seu protagonista: “Meh”.

Trailer – The Emoji Movie

Comments