Archer Mini-Reviews TV TV

Archer – Season Finale – 7ª Temporada

Archer

Já tinham saudades de Sterling Archer, famoso ex-espião internacional, e do seu gang de indivíduos que são bem capazes… menos na espionagem? Pois nada temam, pois a série regressou, com mais 10 episódios de comédia para entretenimento!

O Melhor: Depois de espiões, traficantes de droga e novamente espiões a cargo da CIA, o que podíamos esperar do grupo de ex-funcionários da ISIS (a agência privada de espionagem)? Bem, Adam Reed decidiu atirar este grupo disfuncional de indivíduos como detetives privados. Portanto, os produtores não perderam tempo e atiraram um tom mais familiar com o noir. Com a inclusão, claro está, do tipo de comédia pela qual a série animada da FX Networks é conhecida. O seu elenco principal continua igual a si mesmo, e, verdade seja dita, é preferível que assim seja. Queremos mesmo ver um espião, que é conhecido por ter um péssimo hábito de consumir bebidas alcoólicas a cada momento do dia e ainda tece comentários nocivos sobre tudo e mais alguma coisa, além de se atirar a tudo o que usar saias (leia-se, mulheres)? Talvez, mas tendo em conta que é uma série animada que vive de paródias, não se podia pedir por uma evolução imediata.

E com um tom noir, vem também um enredo que revolve em torno de uma atriz/femme fatale, Veronica Deane (Mary McDonald-Lewis). Outras inclusões inéditas incluem também o advogado de Deane, Alan Shapiro (Patton Oswalt) e dois detetives (J. K. Simmons e Keegan-Michael Key), que concedem também um pouco que conseguem de humor. E Archer não seria “Archer” se também não contasse com a presença dos seus “clientes do costume”, o “espião-tornado-em-Exterminador-Implacável” Barry Dillon (Dave Willis) e o diretor da CIA, Christian Slater (interpretado pelo próprio Slater). E essas presenças soam bastante naturais, concedendo também uma espécie de “folga” da trama principal.

O Pior: Tentar incutir um filtro de film noir numa série que é conhecida como uma paródia aos filmes/séries televisivas sobre espiões é uma boa ideia aplicada aqui. Infelizmente, esse mesmo efeito perde-se ao longo que os 10 episódios vão sendo exibidos. A série pode ser boa em algumas coisas, mas tentar incutir uma trama que poderia ser muito bem resolvido num espaço de 2-3 episódios e alongar essa vertente consegue ser uma adaga de dois gumes.

E existe outro grande pecado. Sim, podíamos ver algumas personagens sem mudarem e até estamos agradecidos por isso. Mas fica também a ideia de que não existe uma espécie de desenvolvimento pessoal em cada um. Comparando, por exemplo, o último episódio da temporada com os primeiros episódios em que nos foram apresentados – e isto em tempos de primeira/segunda temporadas! -, parece que nada mudou em 7 anos.

Desconhece-se se “Archer” terá uma oitava temporada.

0 73 100 1
73%
Average Rating
  • 73%

Comments