Cinema Críticas

Crítica: Dallas Buyers Club

Dallas Buyers Club

Nome: O Clube de Dallas
Título Original: Dallas Buyers Club
Realização: Jean-Marc Vallée
Elenco:  Matthew McConaughey, Jennifer Garner, Jared Leto, Denis O’Hare, Steve Zahn
Duração: 117 minutos

E se um momento da nossa vida, por mais menor que fosse, pudesse alterá-la definitivamente, obrigando-nos a repensar tudo o que fizemos até agora? Se a nossa vida estivesse em risco, estaríamos dispostos a ultrapassar quaisquer riscos em nome da sobrevivência?

Essas e muitas outras questões são levantadas em Dallas Buyers Club, um drama biográfico de Jean-Marc Vallée sobre Ron Woodroof, um texano que, em plenos anos 80, é diagnosticado com o VIH devido a comportamentos de risco. Face a esta realidade cruel, Woodroof vê-se alienado dos seus amigos e do seu emprego de electricista, despojado dos seus bens. Mas, apesar de todo o mal em seu redor, é um homem que está disposto a tudo, desde contrabandear medicamentos não aprovados e inclusive abrir uma acção judicial contra a FDA, a organização que aprova as medicações a tomar.

No seu todo, Dallas Buyers Club é um drama deveras competente, não se dando ao trabalho de amenizar algumas cenas que o espectador vê, transmitindo uma onde típica dos anos 80 e um certo realismo.

Claro que para um papel de tamanha importância é preciso um actor do mesmo calibre. E calhou a sorte grande a Matthew McConaughey, que para este papel deu o seu corpo ao manifesto, colocando inclusive a sua saúde pessoal em risco. Mas McConaughey não deixa de ser magistral, mostrando uma evolução surpreendente. Vejamos: Woodroof começa o filme como o típico texano que vemos nos filmes de Hollywood: homofóbico, cristão, convencido, mesmo com uma caçadeira aonde quer que vá. Mas ao longo do filme, testemunhamos uma evolução deveras positiva, deixando de lado alguns dos seus traços menos positivos em nome de um bem maior. Claro que também teve uma influência do astro secundário, Jared Leto – o conhecido vocalista da banda musical 30 Seconds to Mars – que aqui interpreta Rayon, um travesti doce com um coração de ouro, com quem o espectador não consegue deixar sentir um respeito e carinho. E são estes dois que carregam o filme todo pelas costas, com interpretações tão magistrais que lhes valeram os Globos de Ouro para Melhor Actor Principal e Secundário respectivamente e as nomeações para os Oscars nas mesmas categorias.

Criar um drama biográfico baseado em factos verídicos, nunca é uma tarefa fácil. Mas mesmo assim, isso não impede Dallas Buyers Club de ser considerado um dos melhores dramas do ano de 2013.

Trailer: Dallas Buyers Club

Comments