Frame by Frame Game of Thrones TV

Game of Thrones – 6×08 – No One

Game of Thrones

Estamos de volta a Westeros e, finalmente, as coisas estão a aquecer nos 7 reinos. Arya está a sangrar e o único lugar onde pode encontrar algum refúgio é junto de Lady Crane que, supostamente, seria a sua primeira vítima. Tyrion também está de regresso e o seu plano parece ter dado frutos, ao passo que Jaime reencontra Brienne que o confronta com as intenções de Sansa. A fúria começa a instalar-se em Westeros e o agora vivo The Hound obtém vingança pelo massacre da pequena comunidade que o acolheu e Blackfish recusa-se a abandonar o seu castelo. Cersei é convocada por High Sparrow para comparecer no seu julgamento e retalia de forma violenta ao pedido e, sob a influência do mesmo, Tommen cria novas leis para o reino.

Depois de dois episódios medíocres, Game of Thrones volta em todo o seu esplendor. Não há quase sangue nenhum derramado, mas há drama, humor, estratégia e choque. O jogo começa a ganhar vida e, esta vida, é uma vida conturbada como uma verdadeira guerra dos tronos deve ser. Desde uma investida muito agressiva de Cersei ao seu olhar de coração partido quando vê o seu único filho (vivo) ceder à manipulação dos seus inimigos, passando por um The Hound em modo destrutivo e a um Tyrion com a confiança demasiado elevada, até a uma Arya em pânico e a correr pela sua vida. Não há grandes batalhas porque elas ainda estão para vir mas há um fio estratega que funciona de forma genial para ocupar as lacunas da preparação dos episódios anteriores. Se pensarmos num jogo de xadrez com todas as personagens de Game of Thrones, sentimos que qualquer jogada tem um desfecho imprevisível e é essa a magia que torna a série numa das melhores de sempre. Estamos constantemente com o coração a palpitar. A ação desenrola mas tudo parece ser entregue ao desconhecido e um certo pânico inexplicável apodera-se de nós. Desde a pequena Arya a correr pelas ruas de Braavos fugindo da terrível Waif à mudança de rosto de Tyrion quando vê que o seu plano caiu por terra, ao diálogo de Jaime com Edmure até ao ternurento encontro do mesmo com Brienne, as peças começam a jogar-se sozinhas.
Mas a acompanhar este drama estratégico há um humor fantástico e que corta a temática densa e exigente. O momento entre Bronn e Podrick é simplesmente adorável, inteligente e puro e, finalmente, Tyrion consegue levar a melhor de Missandei e Grey Worm. São duas ocasiões distintas mas que, ao contrário dos episódios anteriores, completam o ciclo de entretenimento.

Estes dois elementos aliam-se à aventura e à ação quando The Hound esquarteja freneticamente os seus adversários a Arya correndo desalmadamente pelas ruas empanturradas de Braavos (este momento é mesmo digno de um Emmy para Maisie Williams) até a um iniciar de batalha sangrento em Mereen. Está tudo em ordem para o próximo avançar e os dois episódios finais prometem ser absolutamente inesquecíveis com tudo o que isso acarreta para os nossos personagens favoritos que já sabemos correm risco de vida.

A paixão por Game of Thrones passa precisamente por isto. Se os episódios anteriores pecaram por empatar o fluxo de eventos, No One serve como veículo redentor dos mesmos e, ainda que não seja exatamente o clímax da série, vale por todo o enredo estratégico e emblemático, de diálogos inteligentes e clima de desconfiança intenso até a um humor genial e a ação sem limites.

0 91 100 1
91%
Average Rating

Game of Thrones regressa à ribalta com uma perseguição frenética e muito jogo de poder pelo meio num episódio empolgante.

  • 91%

Comments