Frame by Frame The 100 TV

The 100 – 3×10 – Fallen

The 100

Numa série onde quase nada do que parece é, voltamos para mais uma semana de espectáculo.

Enquanto o desfecho para Lincoln não foi o melhor, deixando muitos fãs em fúria por perder mais uma das personagens mais queridas (a sério, deviam ver Game of Thrones), Octavia com a ajuda de Harper, Miller e Bryan (namorado do Miller desde os tempos na Arca) resgatam Kane e Sinclair com sucesso, abrigando-se numa gruta.
Octavia tem uma explosão de fúria, espancando Bellamy de forma descontrolada. – De certa forma isto já era de esperar antes da morte de Lincoln, depois disso só se tornou mais certo.
Na Pólis, as dúvidas em volta de legitimidade de Ontari como comandante continuam a aumentar e Murphy parece ser o aliado perfeito.
Na Arkadia temos Raven a lutar contra o controlo de Alie.

Em primeiro lugar: Raven. (surpresa!) Conseguiu romper temporariamente a sua ligação com a Alie, que só a torna ainda mais fantástica. Para além disso Raven chega à conclusão de que é possível quebrar ligação com a Allie de forma definitiva. – Como não adorar a Raven?
E para isso conta com a ajuda de Abigail e Jasper.
Em paralelo com isso temos Monty a ser confrontado pela sua mãe, que o informa que ele tem de sair da Arkadia o mais rápido possível, por causa da traição para com Pike. – Isto leva-nos a pensar que a mãe de Monty não é assim tão má pessoa, mas tudo podia ser mais claro se tivessem desenvolvido mais esta storyline.

De volta a gruta, os desertores pensam numa forma de não ser “varridos” pelos Grounders, decidindo que a única forma é entregando Pike.
Já na sua fuga, Monty tenta comunicar com Bellamy e Kane combina ir ao seu encontro na dropship, mas nunca é assim tão fácil em The 100, pois não?
Octavia precavem-se e planeia levar Bellamy no caso Pike seguir Monty, para uma possível troca reféns.

Chegamos assim à parte mais preponderante deste episódio, com Jaha e Alie num género de reunião Hippie com o resto dos “City Of Light’ers”, onde Jaha dá literalmente uma lição a Allie de como combater o livre-arbítrio de Raven e de qualquer pessoa que o tente usar, sugerindo a Allie usar as memórias mais dolorosas de Raven contra ela num tipo de tratamento-choque.
Entretanto Alie com a sua omnipresença descobre como Raven tenciona usar a tecnologia das pulseiras dos “100”, de forma a reverter o controlo potenciado pela Key.
Raven joga bem e evita saber onde estão as pulseiras de forma a bloquear Alie, Alie contra-ataca com a punição proposta por Jaha. Raven entra em agonia.
Na ala médica a agonia continua, com Alie a fazer Raven sentir todas as dores que teve até ao presente ao ponto de fazer Raven ceder e aceitar submeter-se ao controlo total de Alie.
Temos agora um dos momentos mais incríveis e assustadores desta season com Raven a levantar-se de forma robótica e possuída por Alie e Jackson a espetar um tranquilizante em Abigail.
Começa a deixar de se poder chamar a isto “momento Game of Thrones” e a ser o início de “momento The 100” de tão comum que se estão a tornar este tipo de plot twists de cortar a respiração.

Jasper encontra as pulseiras, mas como era de esperar Alie tratou de meter Jaha atrás de Jasper. Mal jogado, mas a falta de tempo leva a decisões menos pensadas.
Jaha destrói as pulseiras e o plano de Raven torna-se mais remoto.

Damos por nós já na Dropship e parece que Octavia tinha razão ao usar Bellamy como refém, pois Pike seguiu Monty com o seu exército privado.
Quando se preparam para a rendição, Octavia ameaça degolar o seu irmão, Bellamy reverte imediatamente a situação e promete Pike levá-lo à gruta onde estão os restantes desertores de forma a provar a sua lealdade para com Pike. – Não podíamos estar mais confusos após isto, depois do que vimos de Bellamy nesta season, não é fácil saber o que esperar.
A caminho da gruta, Pike promete a Bellamy o mesmo que prometeu à mãe de Monty, caso ele cumpra com a sua palavra. – Afinal a mãe de Monty é mesmo um “monte(…)” e tem que morrer.

Na Arkadia, Abby acorda amarrada perante Jackson, Jaha e Raven/Alie e finalmente começa a fase final da primeira parte do plano de Jaha e Alie, tentando usar Abby para convencer o resto das pessoas da Arkadia que tomar a Key é a escolha certa.
Não a convenceram a bem, foi a mal. Alie corta os pulsos a ela própria (aka Raven) e para a salvar de uma morte certa, Abby acaba por tomar a Key. – Game of Thrones what? Cena mais chocante! Apenas em 4 eps estamos entre perder mais uma personagem preponderante para a morte ou uma personagem importante para os lunáticos da City of Light.

Na Pólis, chegamos à conclusão que Ontari é mais insegura do que aparenta. Graças a isso, cada vez mais aceita a ideia de deixar Murphy ajudá-la a dar a volta aos embaixadores, apesar de que sem a flame se torna uma missão quase impossível.
Com a chegada do embaixador que apareceu no início do ep, Ontari vê-se obrigada a usar a força para o convencer de que é realmente a comandante e por sinal funcionou. – Sorte do embaixador em ser a Ontari e não ser o The Mountain o commander. (comparação um bocado Geek, mas teve que ser ahah).

Estrategicamente falando, chegamos à parte mais prazerosa de um episódio muito penoso para quem adora certas personagens, em que percebemos que Bellamy está mais do que de volta, Bellamy é crucial.
Isto porque não levou Pike a caminho da gruta e sim do local da barricada Anti-Skaikru dos Grounders.
O mais fantástico é que o fez sozinho, porque tanto Octavia como Kane parecem surpreendidos.
O mundo está em apoteose, finalmente o Pike está fora!

Ainda na Pólis com a ascensão de Ontari a Heda, parece que Murphy caiu nas suas boas graças e apesar de Murphy se mostrar relutante em se deixar levar (por ter sentimentos por Clarke), afinal é o Murphy – “The things I do to survive” – e acontece o que muitos estavam à espera desde o banho de Ontari no último episódio.

De volta à Arkadia, Abby distribui Keys como que dá tic-tac’s, parece que finalmente Jaha conseguiu o que queria, Abby na “Team Alie”. Jasper entra em cena e após perceber que a Arkadia está perante um Ritual Satânico, decide que a única coisa a fazer é fugir. Ter pensado em levar Raven com ele foi de valor. Good guy Jasper is back.
Do nada toda a gente que tomou a Key perece ter virado zombie e Alie ganha um mini-exército.
À saída da Arkadia Jasper encontra Clarke a tempo de a safar de uma morte quase certa e de a impedir de levar Alie 2 direitinha às mãos de Alie. Clarke depara-se com uma mini guerra e perseguição a Jasper, descobre que Lincoln está morto e que a sua mãe se converteu. Não podia pedir melhor recepção.
Contudo acho que foi bem pensado deixar de Clarke de fora todo o episódio, pois tornou este momento de loucura (que foi a fuga de Jasper) mais excitante.

Arkadia caiu!
Fallen” ganha sentido, ainda mais por ter servido de transição da ameaça activa na Arkadia (e não só), passando a hegemonia de Pike para glória brutal da dominante Alie, em apenas 5 minutos.

Pontos importantes:
-Octavia começou por transparecer que Bellamy estava morto para ela, mas depois de Bellamy ter eliminado Pike em 3 tempos, será que voltou a cair nas graças da irmã?
-Ontari e Murphy parecem formar a equipa perfeita. Até onde é que vão chegar com esta mentira?
-Quão irritante acharam o sorriso de Jackson? Uns Hunger Games entre ele e a mãe do Monty era pouco.
-Até onde irão Alie e Jaha com este vírus que se chama “Key”? Os prognósticos são piores do que em The Walking Dead, porque para além de convencerem as pessoas à força, também são persuasivos ao ponto de as convencer sem qualquer esforço. Afinal, o corpo não apodrece e ninguém sente dores.
-Vão Jasper e Clarke conseguir ajudar Raven a livrar-se do controlo de Alie de vez?
-Há quem defenda que Abby não tomou mesmo a Key, mas se ela não o fez, considero impossível Alie não o perceber. A ser verdade a série cria um Plot Hole muito evitável.
-Jasper teve uma recuperação muito boa desde que confrontou Raven com as memórias que esta perdeu pós-Key. Passou de uma personagem sem juízo e fraca mentalmente (que o tornou secundário), para uma das mais fortes que sobram ao skaikru e uma das mais promissoras em The 100.
-A série continua a ganhar pontos por tornar as partes agressivas mais gráficas e menos censuradas. Qualquer dia The 100 passa a ser “Rated R”.
-Que raio é o “Stage 2”?

Ponto mais importante:
-Já sabíamos que Erica Cerra estava a fazer um bom trabalho no papel de Alie (com o de Becca pelo meio), mas quão fantástica é Lindsey Morgan por conseguir projectar Alie na perfeição, copiando de forma categórica todos os maneirismos de Erica Cierra, no mesmo episódio em que fez outros 2 papéis, o de Raven e o de Raven após a Key?

Lincoln já era, por isso Raven é neste momento a minha personagem preferida. Só espero que tenha melhor sorte!

Ainda estamos a 6 episódios de acabar a temporada, mas acho que se as coisas continuarem a este ritmo, com The 100 a conseguir manter o suspense e imprevisibilidade que tem tido, vai-se tornar facilmente num fenómeno mundial antes do lançamento da 4ª temporada.

0 93 100 1

93%
Average Rating
  • 93%

Comments