Frame by Frame The 100 TV

The 100 – 3×08 – Terms and Conditions

The 100

Resumindo: O plano de Lexa em barricar a Arkadia está a ser levado à letra e as casualidades só deixam Pike mais inquieto e raivoso. Kane não ajuda e Bellamy continua parvo.

Agora falando de coisas sérias! A olho nú, “Terms and Conditions” foi um episódio aparentemente simples e parado (quando comparado com a espectacularidade do anterior), mas analisando bem tivemos um episódio estrategicamente estratégico muito bem pensado.

Foquemo-nos primeiro no “estrategicamente”. Depois do episódio “Thirteen” (3×07) ficámos cheios de questões e em pulgas para descobrir as consequências de todo o rumo que o episódio levou, no entanto ofereceram-nos exactamente o “simétrico” (vulgo: Outras cenas, outras personagens, outras histórias e outras linhas de acção) e isto não foi nada mais nada menos do que os produtores de The 100 a tentar saltar para o aquário dos tubarões onde estão The Walking Dead ou Game Of Thrones.
Não quero com isto fazer uma comparação directa entre séries e sim comparar a forma como são apresentadas ao espectador.
Em TWD é comum cair uma bomba e no episódio seguinte não nos darem justificações (mais recente: caso Glenn), em GoT (acontece regularmente). The 100 finalmente chegou a um ponto da história em que esta se está a tornar tão complexa e com uma dimensão tão grande, que existe material suficiente onde pegar para fazer esta jogada com sucesso.
E assim continua The 100 a crescer!

“Estratégico” porque todo o episódio foi como um jogo de Xadrez entre Pike e Kane para determinar quem levaria avante os seus planos e intenções.
De um lado temos Pike, um líder à força e manipulador que se apoia no medo das pessoas para ganhar poder e toma decisões extremistas devido ao seu próprio medo*(ver nota 1).
Braços direitos:
-Chinesa irritante da qual não me recordo do nome (nem me interessa) – Dou-lhe mais 2 episódios e tem a cabeça numa estaca.
-Bellamy, cuja morte da sua namorada (wannabe), motivou nele um género de revolta anti-grounders.
-Monty, que foi por arrasto da sua recém-aparecida mãe.
*Nota 1: Se há coisa que a história nos ensinou é que pessoas com poder movidas pelo seu próprio medo, dá asneira, basta olhar para Hitler ou Anakin Skywalker e futuramente (se tudo correr mal), Donald Trump.
Do outro lado temos Kane, um verdadeiro líder, movido pela lógica e bom-senso, sem medo de ser flexível para se adaptar a novas realidades.
Braços direitos:
-Harper e Miller, com grande preponderância por serem um género de “agentes infiltrados” no meio de Pike.
-Sinclair, que desempenha um papel mais suicida, servindo de cavalo de tróia.
-Todos os grounders mantidos em prisão preventiva por Pike e que não lhe guardam amor nenhum.

Começa o jogo de Xadrez! Legenda: P=Pike; K=Kane
1: Pike planeia contrariar a barricada feita pelos grounders, uma jogada à frente está Kane por o escutar. – Peão P [out]
2: Outra jogada à frente está Pike, por saber que está sobre escuta, dando informações falaciosas. – Peão K [out]
3: Por sua vez Kane continua à frente por adoptar uma estratégia defensiva. – Bispo P [out]
4: Pike contrapõe, usando os planos falsos para conseguir eliminar o Sinclair da jogada. – Cavalo K [out]
5: No entanto Kane já estava à espera disso, usando a perda de Sinclair para desencadear uma série de jogadas e causar o caos no lado do tabuleiro de Pike. Como cavalo de troia, Sinclair inicia uma rixa controlada dentro da cela, obrigando os guardas a intervir. O resultado é um motim que exige a presença de toda a guarda de Pike na mesma zona, à mesma hora. – Bispos, Peões e Cavalos P [out]
6: Kane apanha Pike de surpresa e rapta-o para o entregar aos grounders. – Rei P [check]
7: Mounty capta comunicações entre Miller e Kane e avisa Bellamy. – Torre P [Ataque]
8: Bellamy intercepta Kane, colocando-se entre o jipe onde transportava Pike e o Portão, obrigando Kane a parar, invertendo o rumo do jogo. – Rainha P [ataque]
9: Kane é condenado à morte por Pike. – Rei K [checkmate]
Sequência de eventos mais extasiante desta 3ª temporada até ver. Traduzindo para o futebol é uma sensação idêntica ao Euro 2004, passar um mês em euforia para perder na final.
Vai mesmo Kane ser executado? A verdade é que depois do que aconteceu com Lexa, já acredito em tudo!

O que mais me custa nesta temporada (com excepção a uma situação ou outra) é a falta apego emocional com as personagens.
Temos Pike, cujo nem tivemos tempo para o conhecer e perceber as suas motivações antes de descobrimos que era uma besta quadrada.
Temos Bellamy, que mudou radicalmente e até ver não há nada que traduza o que vai na cabeça dele. Tudo o que chega a quem está a ver são expressões faciais que nos deixam a saber pouco ou nada sobre o ele está a sentir.
Temos Monty, que apesar de escolher o Pike por ser o lado que a sua mãe defende, já tem idade para saber distingir o certo do errado, podendo muito bem contrariar a sua mãe se assim o compreender.
Pelo menos no fim do episódio, Bellamy e Monty deram a entender que finalmente acordaram para a realidade. Resta agora saber qual irá ser a reacção das outras personagens que sempre estiveram do lado certo desde o início. Será que os vão perdoar?
Vai conseguir Monty fazer frente à sua mãe?
Vão Bellamy e Octavia conseguir voltar a recuperar a sua relação de irmãos?
E o Miller e o namorado?
Acho que este é o único problema desta temporada, a falta de uma análise mais cuidada das emoções das personagens. Ao menos o Jaha e Raven têm uma justificação!

Por falar na Raven… Se leram as minhas últimas reviews, estão cientes:
Que para mim sempre foi uma das personagens mais dinâmicas e animadas da série.
Que nesta season andava mais apagada.
E que tomar o The Key foi uma faca com dois gumes, por a trazer de volta, mas por a deixar sem emoções.
O que é certo que é a ausência de dor, fez regressar o seu bom humor e vivacidade.
A nível de emoções ainda estávamos um bocado perdidos… Não mais! Inexplicavelmente a confrontação de Jasper relativa à sua relação amorosa com Finn, fez-la entrar em conflito com ela própria, que a levou a ignorar Alie (usando o livre-arbítrio), quebrando assim o controlo que esta tinha sobre ela.
Com isto novas questões se levantam.
Será possível forçar o clique em todos os que tomaram o The Key ou é Raven um caso especial?
Se Raven conseguiu ignorar Alie uma vez, será que o vai conseguir voltar a fazer? Quais as consequências?
Ao quebrar essa ligação continua a ser possível ir para a City of Light depois de morrer?

Agora a grande questão que todos deveriam colocar: Se este episódio se passou todo dentro da Arkadia, onde raio está a Abigail?

0 84 100 1

84%
Average Rating
  • 84%

Comments