American Horror Story Frame by Frame TV

American Horror Story – 4×10 – Orphans

American Horror Story

Chegámos ao momento de paragem natalícia e o circo de aberrações de Elsa Mars vai descansar um pouco dos horripilantes eventos que tem vivenciado.

Em Orphans ficamos a entender o passado de muitas das personagens deste circo e, lamento informar, mas Dandy não é uma delas. A principal atração é Pepper, uma jovem abandonada num orfanato pela sua família por sofrer de uma espécie de atraso que a deformou fisicamente. Pepper é, no entanto, bondosa, aplicada e trabalhadora que são qualidades que a tornam num ser humano como todos os outros; foi a primeira aberração que Elsa recrutou para o seu circo e pela qual criou uma empatia extraordinária (algo muito mal retratado nos episódios anteriores) e lhe proporcionou tudo aquilo que ela desejava ter, especialmente o conforto de uma família e o carinho de um companheiro.

Naomi Grossman, que encarna a personagem, é mais que fenomenal e a sua prestação é digna de um Emmy. A atriz consegue assimilar todos os retoques e características principais com que John Hurt construiu o seu O Homem Elefante em 1980. Ao sermos levados para a vida de Pepper somos forçados a partilhar a sua dor, infelicidade e tristeza de forma tão vívida que é revoltante. Elsa mostra a sua real faceta onde equilibra a sua ânsia de querer subir num pedestal artístico e pisar seja quem for com o amor que nutre pelos seus monstrinhos.

Esperem por um episódio rico em performances de nível e linha narrativa forte e intensa. Até temos a aparição especial de Lily Rabe, que encarna a freira Mary Eunice do capítulo Asylum, correspondente à segunda temporada da série. Ryan Murphy já tinha avisado que as temporadas de American Horror Story estavam todas interligadas e a prova chega com um toque triunfante e artístico.

Jimmy Darling foi preso por ser supostamente o responsável da morte de várias mães de família que procuravam por um tipo de prazer pouco convencional. Sabemos claramente que Jimmy não é o culpado, mas ficamos perturbados quando Stanley regateia com o mesmo para arranjar um advogado a fim de provar a sua inocência.

Desiree descobre a verdadeira razão por que Violet e Stanley estão no circo de aberrações e liga-os aos mais recentes desaparecimentos e assassinatos. Ficamos com a sensação que Desiree irá ter um destaque bem maior nos capítulos seguintes.

Ainda que sem Dandy para ensanguentar um pouco as coisas, podemos decidir que Orphans é o mais emotivo, intimista e humano episódio de toda a temporada. A história de Pepper é, sem dúvida, a mais peculiar de todas e também a mais emotiva até ao momento.
A forma gradual com que linha narrativa de American Horror Story vai progredindo mostra sinais de uma criatividade elegante e premeditada, não caindo nas fórmulas típicas com que muitas outras séries se regem. Isto torna-a numa das mais belas e originais produções televisivas do momento.

A série regressa em Janeiro para apresentar os três últimos episódios e podemos esperar por Neil Patrick Harris que ele está para chegar!

0 97 100 1

97%
Average Rating

Orphans é o episódio mais puro, genuíno e emocionante da série até agora. Naomi Grossman é fenomenal!

  • 97%

Comments