American Horror Story Frame by Frame TV

American Horror Story – 4×05 – Pink Cupcakes

American Horror Story

Depois do brilhante episódio anterior seria difícil manter a mesma fórmula no seguinte, mas todos os que gostam da série sabem que há sempre margem para surpresas.

O episódio começa de forma muito sombria, com a típica atmosfera apática e sem cor característica habitual da técnica de filmagem. Stanley e Maggie encontram-se no Museu de Aberrações e parecem ter conseguido reclamar dois prémios bem chocantes para o público, não vou referir nomes porque senão estrago a piada toda.

Fazendo-se passar por um caçador de talentos, Stanley consegue infiltrar-se no circo de Elsa Mars, aproveitando-se da fraqueza da mesma em se querer tornar numa estrela famosa. Mesmo com casa cheia, o número de Elsa parece não satisfazer a plateia. Um facto não muito chocante dado que os espectadores pagam para ver pessoas com deficiências físicas anormais e não uma artista de cabaré. Isto enfurece Elsa, ao ponto de ela se querer lançar no mundo da televisão, pelo qual teve algum desinteresse.

Jimmy ficou claramente apaixonado por Maggie, ainda que desconheça as intenções da mesma para com os seus colegas. Desiree descobre, num encontro invulgar com Jimmy, que sempre foi uma mulher a 100%, aspeto este de que duvidou a sua vida inteira. Descobrimos a verdadeira faceta de Dell e do interesse homossexual num carismático Matt Bomer, prostituto numa boate gay.

Estes pequenos enredos secundários culminam na morte de algumas das personagens principais, o que me causa alguma preocupação em relação aos restantes episódios. Por um lado considero importante manter a imagem de série progressista e que aniquila os protagonistas cedo para dar encaminhar outras pontas soltas do enredo, mas por outro fico com receio de que se esgote a criatividade em manter uma história o mais credível e consistente possível.

Gabourey Sidibe, Matt Bomer e Celia Weston são participações especiais muito bem-vindas e que trazem um pouco mais de carisma ao episódio.

Contudo, toda a nossa atenção foca-se na macabra prestação de Finn Wittrock e de Dandy Mott como respetiva personagem. Tínhamos visto que Dandy perdera o seu compincha de esfaqueamentos: o palhaço Twisty, mas que lhe aguçou ainda mais o instinto de assassino. Após ter morto a sua empregada Dora, uma necessidade de libertação física e pessoal reflete-se no rosto do ator, provocando arrepios na espinha dos espectadores.

Com o seu visual extraordinário, banda-sonora cativante e design de produção ao mais alto nível, American Horror Story continua a surpreender e a deliciar os fãs com os seus twists imprevisíveis.

0 75 100 1
75%
Average Rating

Pink Cupcakes desce ligeiramente de qualidade mas não deixa de ser um triunfo visual. Dandy ganha destaque o que, por si só, já é um aspeto positivo.

  • 75%

Comments