FEUD Frame by Frame TV

FEUD: Bette and Joan – 1×02 – The Other Woman

FEUD

O episódio desta semana traz-nos, na minha opinião, Bob Aldrich no centro de tudo, (ainda que Jessica Lange e Susan Sarandon roubem sempre a cena), mostrando-nos um Alfred Molina numa performance incrível e forte como sempre nos habituou.

O episódio começa com uma surpreendente união entre as duas protagonistas Bette Davis e Joan Crawford, que é maravilhosa de se ver. Ambas parecem remar para o mesmo lado e as “armas de guerra” parecem ter sido postas de lado. Mas não é isso que Jack Warner pretende. Desprovido de escrúpulos e querendo que o filme What Ever Happened to Baby Jane? seja falado em todo o lado, propõe ao realizador Aldrich que despolete conflitos entre as divas. Este, também sedento de ver o seu nome no centro do estrelato, assim o faz.

Durante o episódio temos oportunidade de ver uma Crawford manipuladora e disposta a tudo para conseguir sobressair perante a rival, sendo apenas possível ver a sua vulnerabilidade na conversa com Hedda em sua casa, onde revela as suas fragilidades por trás da capa de poderosa.

Já Davis, apesar da sua presença sempre forte e algo ameaçadora, vai-nos dando atitudes de grande sensatez, principalmente na questão da disputa entre as duas pelo protagonismo.
É aliás, numa cena maravilhosa entre Bette e a filha, que nos é revelado o facto dela sempre ter colocado a carreira e a fama acima de tudo, inclusivé da família e da dignidade.

A fotografia e o argumento continuam sublimes. Impossível de largar o ecrã e de não saborear as palavras que todas as personagens, fortes e consistentes, nos vão passando.

Não podia deixar de destacar ainda a minha cena favorita no episódio, onde Davis e Aldrich ensaiam uma das cenas num Sábado de manhã. Maravilhosa. Chega a arrepiar.
O minuto final é também incrivelmente forte e tocante, onde vemos a mulher traída e infeliz de Aldrich num sofrimento contido pelas atitudes do marido, mas que passa para nós.

0 88 100 1
88%
Average Rating

O episódio desta semana traz-nos Bob Aldrich no centro de tudo, mostrando-nos um Alfred Molina numa performance inesquecível.

  • 88%

Comments