Arrow Frame by Frame TV Uncategorized

Arrow – 4×19 – Canary Cry

Canary Cry

Arrow regressou esta semana com um episódio dedicado à memória de Laurel Lance/Black Canary (Katie Cassidy). Para tal, foram feitos vários paralelos entre a despedida de Tommy na 1ª temporada e a de Laurel, com flashbacks a momentos que nunca tínhamos visto entre Laurel e Oliver (Stephen Amell). O episódio focou-se ainda em grande parte nas reações de Quentin Lance (Paul Blackthorne) e Diggle (David Ramsey).

Lance está desesperado por encontrar uma forma de ressuscitar a filha, um comportamento bastante compreensível dado o historial da série. Diggle sente-se culpado pela morte de Laurel por ter confiado no irmão e toma decisões repreensíveis durante o episódio. Este é um lado de Diggle a que não estamos habituados e que alterou a dinâmica com Oliver.

Também Felicity (Emily Bett Rickards) se sente culpada por não estar a ajudar a equipa quando Laurel morreu. Certamente estes acontecimentos são o empurrão necessário para finalmente trazer Felicity de volta.

Esta semana introduziu uma nova personagem: Evelyn Sharp (Madison McLaughlin), antiga prisioneira de Damien Darhk (Neal McDonough), está a fazer-se passar por Black Canary e procura vingança depois de Oliver a ter deixado para trás nas mãos de Darhk. Se foi a última vez que vimos a personagem ou se eventualmente esta vai voltar a assumir a identidade de Black Canary, não sabemos. Seria interessante ficar a conhecer uma personagem que trouxesse algo de novo à série.

Embora as reações de cada personagem em relação à morte de Laurel façam sentido, e este episódio tenha sido uma boa homenagem à personagem, foi bastante afetado pelo passado. É difícil interessarmo-nos pela situação das personagens quando é tão repetitiva e quando já nos habituámos a não esperar consequências. Oliver sente-se culpado por uma coisa ou outra em todos os episódios. Lance está, infelizmente, de luto em quase todas as temporadas. A incerteza de Felicity em relação ao que realmente quer da sua vida também já não é nada de novo. E Thea (Willa Holland) volta a não ter muito que fazer. O comportamento de Diggle pode ser uma mudança radical, mas certamente não vai durar. O que poderia ter sido um bom episódio de despedida a uma personagem que tinha muito para dar, foi tão manchado pelo passado que acabou por ser apenas mais um.

0 66 100 1
66%
Average Rating
  • Um episódio tão manchado pelo passado repetitivo que acabou por ser apenas mais um.
    66%

Comments